Tag Archives: Secretaria de Estado de Saúde

Maranhão foi o estado que mais vacinou contra gripe na Região Nordeste

O Maranhão foi o estado que mais imunizou contra o vírus influenza na Região Nordeste, ficando em sexto lugar entre os que mais vacinaram no Brasil. Foram imunizados 82,72% da população alvo da campanha, de acordo com números fornecidos pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), no fim da tarde desta sexta-feira (1º).

Durante os 26 dias de campanha o estado conseguiu imunizar 787.981 pessoas, entre crianças, idosos, gestantes, indígenas e trabalhadores da saúde, público-alvo da vacinação. “Estamos contentes com o resultado, pois disponibilizamos todo o nosso apoio para que os municípios pudessem cumprir suas metas de maneira satisfatória”, celebrou o secretário-adjunto de Vigilância em Saúde, Alberto Carneiro.

Crianças com faixa etária entre seis meses a dois anos foram as mais imunizadas, contabilizando 89,54%. Os trabalhadores em saúde vêm logo a seguir, com 98,08%. Idosos atingiram 81,47%, enquanto as gestantes, 80,41%. A população indígena foi a que menos vacinou: foram imunizados 50,37% dos índios.

Dos 217 municípios maranhenses, 146 atingiram a meta. No entanto, quatro tiveram baixíssima cobertura, ficando abaixo dos 50%. Entre estes estão Timon, São Pedro da Água Branca, Fernando Falcão e Jenipapo dos Vieiras. São Luís foi um dos municípios que ultrapassou a meta, fechando o dia com mais de 81% do público da campanha imunizado.

Para Alberto Carneiro, um dos fatores que contribuíram para o baixo índice vacinal em alguns municípios pode ser atribuído à pouca mobilidade dos gestores municipais. “Infelizmente, as populações destes municípios ficarão mais suscetíveis aos três tipos de vírus os quais a vacina imuniza”, lamenta Alberto Carneiro. “Neste caso, os gestores municipais serão responsabilizados”, completou.

Mau tempo impede ida da governadora Roseana Sarney a Barreirinhas nesta quarta-feira onde inauguraria o Hospital Geral

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) divulgou na manhã desta quarta-feira nota em que informa ter sido adiada a  inauguração do Hospital Geral de Barreirinhas, que ocorreria nesta quarta-feira (28),  adiada por causa do mau tempo, que impossibilitou o deslocamento da comitiva do governo até o município.

Uma nova data será definida para a entrega da unidade de saúde. Nesse período, a população continuará recebendo atendimento no Hospital São Lucas, no município.

Segunda-feira passada (26), o secretário de Saúde, Ricardo Murad, inspecionou as instalações e reuniu pela primeira vez a equipe do Hospital Geral de Barreirinhas. No encontro, determinou que todos tenham profissionalismo nas funções desempenhadas, companheirismo para com os outros funcionários e humanismo ao tratar os pacientes e seus acompanhantes.

Fonte: maranhaohoje.com

Turismo maranhense em destaque no 37º Encontro Comercial Braztoa

A Secretaria de Estado do Turismo (Setur) participa nesta quinta (22) e sexta-feira (23), no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo, do 37º Encontro Comercial Braztoa, evento que reúne agentes de viagens, operadores de turismo e profissionais do setor.

Durante o encontro, a Setur, vai exibir, em um estande de 12m², o potencial turístico do Maranhão, com destaque para O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, Cachoeiras da Chapada das Mesas e detalhes da arquitetura de São Luís.

A equipe distribuirá material promocional, além de revistas e vídeos sobre o Maranhão. A castanha de caju e o doce de espécie também serão oferecidos como pequena mostra da gastronomia maranhense.

De acordo com o secretário de Estado de Turismo, Jura Filho, a ideia é mostrar o potencial turístico do Maranhão, com suas riquezas naturais, arquitetônicas e culturais. “O objetivo é buscar fortalecer as ações no setor turístico nacional, por meio do intercâmbio de informações, contatos e negócios”, explicou.

O evento, exclusivamente voltado à realização de negócios e ao aperfeiçoamento e atualização, procura antecipar tendências e novidades da próxima temporada.

Neste ano, mais de 200 expositoresdevem participar do 37º Encontro Comercial Braztoa, que deve reunir mais de três mil agentes de viagem.

Fonte: Setur

SES oficializa parceria com a Vivo para o combate à dengue

José Márcio Leite e Rodrigo Júnior assinam termo de cooperação e adesão ao projeto "Vivo Sem Dengue" de prevenção da dengue

Para reforçar o combate à dengue no Maranhão, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) e a Telefônica Vivo firmaram uma parceria, na manhã desta quinta-feira (8). Na ocasião, o subsecretário estadual de Saúde, José Márcio Leite, e o gerente regional da Vivo no Maranhão, Rodrigo Júnior, assinaram um termo de cooperação e adesão ao projeto de incentivo à prevenção da dengue, denominado “Vivo Sem Dengue”.

O projeto prevê o envio de 50 mil SMS aos clientes da Vivo no Maranhão, com o texto “Dica Vivo. Combata a dengue. Não deixe água acumulada. Receba bem o agente de saúde, desde que esteja identificado. E o lançamento de cartões de recarga temáticos com frases de orientação à população sobre formas de prevenção dos criadouros do mosquito Aedes aegypti. E não há qualquer custo para os cofres públicos.

“Precisamos, e muito, ter educação em saúde, pois não se combate a dengue sem a colaboração da população. Com esse trabalho, a Vivo alcançará o cidadão em momentos que ele até esquece que o mosquito existe. Portanto, agradecemos por essa parceria, porque é muito bom contar com o apoio da iniciativa privada para dar assistência à saúde dos maranhenses”, declarou o subsecretário José Márcio Leite, durante o lançamento da campanha da Vivo que contou também com a participação do secretário-adjunto de Vigilância em Saúde, Alberto Carneiro. Ele destacou que essa é a primeira parceria público-privada na área da saúde, no Maranhão.

Os torpedos serão enviados para os DDDs 98 e 99, no dia 15 de março, com o texto: “Dica Vivo. Combata a dengue. Não deixe água acumulada. Receba bem o agente de saúde, desde que esteja identificado.”

Além disso, quem efetuar recargas através dos cartões, nos valores de R$ 3,00 e R$ 25,00, poderão conferir a frase da campanha, sendo mais uma de orientar a população para o combate à doença: “Ajude a combater a dengue. Remova, todos os dias, a água acumulada em vasilhas, garrafas, pneus e vasos de planta”. São mais de 60 mil cartões distribuídos em aproximadamente 8.200 mil pontos de recarga da operadora no estado. Durante o lançamento da campanha, um exemplar ampliado do cartão de recarga foi entregue a José Márcio Leite pelo gerente Rodrigo Júnior.

“A Vivo tem um comprometimento com o social, estamos sempre buscando levar ações de interesse geral. Já tivemos a campanha que ajudava as vítimas das enchentes no Maranhão e agora é a vez de combater a dengue. A Vivo está sempre disponível para apoiar essas e outras ações na área da saúde”, declarou o gerente regional da Vivo.

Os torpedos enviados na campanha fazem parte do SMS Social, projeto desenvolvido pela Diretoria de Promoção à Saúde da Vivo. O objetivo é a divulgação de temas de interesse público que auxiliem os usuários a se conscientizar socialmente. Em todo o Brasil, o SMS Social já distribuiu milhões de torpedos no combate à dengue, vacinação contra a rubéola e a hanseníase, incentivo à doação de sangue e ainda mensagens de ajuda às vítimas das recentes tragédias naturais.

Fonte: SES

Quinzena da Saúde termina com mais de 76 mil atendimentos

Serviço de atendimento organizado na Quinzena da Saúde

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) encerrou as atividades da Quinzena da Saúde, nesta quarta-feira (30), no Anel Viário, em São Luís, contabilizando 76.309 mil atendimentos, no período de 14 a 30 de novembro. A ação, que contou com uma equipe de 150 pessoas trabalhando diariamente, incluiu consultas com urologistas, dermatologistas, ginecologistas e mastologistas, para fazer a prevenção de diabetes, hipertensão e dos cinco tipos de câncer com maior incidência no Maranhão: pele, mama, colo de útero, pênis e próstata.

Na área, que ficou conhecida como Cidade da Saúde, foram instalados o Hospital de Campanha (onde eram feitas as consultas com ginecologistas, dermatologistas, e realizados exames preventivos) e a carreta com o mamógrafo móvel, onde as mulheres eram submetidas aos exames de mamografia e ultrason das mamas.

No local também foi montada a tenda da Academia da Saúde, que ofereceu avaliação física e nutricional às pessoas atendidas na Quinzena. A ação também incluiu coleta de sangue na Unidade Móvel do Hemomar e a emissão de documentos pelo caminhão do Viva Cidadão, além da distribuição de um farto material educativo com informações sobre prevenção do diabetes, hipertensão e câncer.

Os clínicos gerais responsáveis pelo primeiro atendimento no Aterro do Bacanga avaliaram que muitos dos problemas relacionados ao diabetes têm origem em uma alimentação inadequada, pobre em nutrientes. Segundo eles, os pais devem ter o máximo de cuidado com a alimentação dos seus filhos, evitando comidas ricas em sal e em açúcar, os dois grandes vilões do século.

A mesma leitura faz a educadora física Vânia Polary, acrescentando ainda que grande parte das pessoas atendidas na Academia da Saúde é sedentária. “Vamos orientar as pessoas até o último dia. Muitas delas estão acima do peso e ainda fazem atividade física irregular”, disse ela, adiantando que a experiência da Academia, incentivada pelo Ministério da Saúde, deverá ser levada para unidades de saúde da rede estadual. “Esse trabalho é de grande importância e deve ser valorizado”, frisou ela.

Os resultados da Quinzena da Saúde puderam ser percebidos no semblante das pessoas atendidas. A dona de casa Raimunda Elissandra Leite, 39 anos, é um exemplo disso. Hipertensa desde os 28 anos, há cerca de um ano, ela teve um princípio de AVC. Casada e mãe de quatro filhos, contou que há pelo menos dois anos não fazia um exame preventivo do câncer de colo de útero.

“Valeu a pena vir até aqui. Eu posso dizer que além de bem tratada, recebi orientações que vou levar para o resto da vida. Sei que preciso mudar a minha alimentação e começar a caminhar para perder peso e vou fazer isso logo”, relatou Raimunda Leite, que tem 1,62 metros e está pesando 109 quilos, 39 a mais que recomendado para sua estrutura física e orgânica.

A vendedora autônoma Tânia Cunha Silva, 42 anos, lamentou o encerramento das atividades da Quinzena. “A Secretaria de Saúde não sabe o quanto fez bem para a gente com essa ação. Gostaríamos que esse atendimento ficasse por mais tempo. O povo carece muito de ações de saúde”, ressaltou ela, que apareceu no penúltimo dia e só conseguiu se submeter ao exame preventivo, além de verificar a pressão arterial e teste de glicemia. “Graças a Deus, as minhas taxas estão todas normais, mas gostaria de ter chegado a tempo de ser atendida por um ginecologista”, concluiu ela.

Fonte: SES

SES realiza ações de prevenção no Aterro do Bacanga

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) inicia, nesta segunda-feira (14),uma ampla de ação de prevenção do diabetes e dos cinco tipos de câncer de maior ocorrência no Maranhão, no Aterro do Bacanga, na área onde é montada a Passarela do Samba. No local serão oferecidas consultas médicas, exames preventivos e palestras educativas, além da promoção de atividades físicas e da coleta de sangue pelo Centro de Hemoterapia e Hematologia do Maranhão (Hemomar). Para completar o atendimento, um caminhão do Viva Cidadão foi instalado na área para a emissão de documentos.

O atendimento será diário, das 8h às 18h, até dia 30 de novembro, dentro do calendário de atividades propostas pelo Ministério da Saúde que inclui o Dia Mundial do Diabetes (14 de novembro), Dia Nacional do Doador de Sangue (25 de novembro) e Dia Nacional de Combate ao Câncer (27 de novembro). A intenção é facilitar o acesso da população aos serviços que visam à prevenção do diabetes e do câncer. Para tanto, a estrutura inclui o hospital de campanha, o mamógrafo móvel, equipamentos para a realização de exames como coloscopia e próstata, e laboratório. Pelo menos 300 pessoas deverão ser atendidas diariamente no local.

O diabetes é uma doença crônica que se caracteriza pelo aumento dos níveis de açúcar (glicose) no sangue e pela incapacidade do organismo em transformar toda a glicose proveniente dos alimentos. Se não tratada e controlada, pode resultar em complicações, como a retnopatia, a hipertensão arterial, a nefropatia, e o pé diabético.

Para atender as pessoas com suspeita do diabetes, a SES disponibilizará clínicos gerais e oferecerá, ainda, os testes de glicemia capilar, que podem ser feitos sem que o paciente esteja em jejum. Também haverá a verificação de pressão arterial. Só de atendimentos nessa área, serão mais de dois mil. As pessoas que apresentarem sinais e sintomas da enfermidade, ou até complicações, no caso dos já diagnosticados, terão como referência o Centro de Medicina Especializada (Cemesp).

Na área de prevenção do câncer, urologistas, dermatologistas, ginecologistas, pneumologistas e mastologistas prestarão atendimento no local, podendo encaminhar, caso necessário, os pacientes para a realização de exames como PSA (detectação do tamanho da próstata), penioscopia (detecção de lesões no pênis), papanicolau (preventivo), mamografia (detecção de nódulos) e biópsia da mama. A estimativa é realizar mais de quatro mil procedimentos somente nessas cinco áreas.

O foco principal serão os cinco tipos de câncer que mais matam no Maranhão: pênis, próstata, colo de útero, mama e pele. Os hospitais de referência para os casos de encaminhamento serão o Tarquínio Lopes Filho (Geral) e o Centro de Saúde Genésio Rêgo, na Vila Palmeira.

Para receber a população, a Passarela do Samba foi transformada na cidade da saúde, com a utilização de uma área de três mil metros quadrados onde foi instalada uma grande tenda em formato espacial, com um auditório com capacidade para 100 pessoas, onde acontecerão as ações de educação em saúde, a exemplo das palestras proferidas por profissionais de diferentes áreas, abordando as temáticas do câncer e do diabetes.

Fonte: SES

Fortalecimento da saúde mental é tema de seminário em São Luís

Profissionais e gestores de saúde da capital e do interior participam de seminário sobre saúde mental

Com o objetivo de discutir medidas que possibilitem diversificar o cuidado e a atenção a dependentes e familiares de usuários de álcool, crack e outras drogas, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) iniciou, nesta quinta-feira (13), no auditório do Hotel Praia Mar, em São Luis, o “Seminário de Fortalecimento da Rede de Atenção à Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas”. O encontro, que acontece até esta sexta-feira (14), é organizado pelo Departamento em Atenção à Saúde Mental e reúne profissionais e gestores de saúde da capital e do interior, além de representantes de entidades ligadas aos direitos humanos.

A secretária-adjunta de Ações Primárias em Saúde, Cristina Loyola, abriu o seminário proferindo palestra sobre “Política Nacional de Saúde Mental”. Ela destacou que o evento é a oportunidade para reunir atores sociais que ajudem a entender e organizar a gestão de um novo modelo de atenção a essa parcela da população, de modo a reinseri-los na sociedade, mediante um atendimento feito a partir da concepção de que a questão não está atrelada apenas à de saúde pública.

“É preciso que se reconheça primeiramente a importância da responsabilização destes entes participativos, no que diz respeito às competências de cada um, levando em conta a questão da intersetorialidade  pela qual o problema ocorre e deve ser resolvido”, disse a secretaria-adjunta, lembrando que a solução do problema perpassa pelo reconhecimento da atenção primária como braço inicial do tratamento.

Tal pensamento também foi amplamente difundido pelo doutor em ciências sociais e médico psiquiatra Marcelo Kimati; a doutora em enfermagem Ana Luiza Aranha; a médica psiquiátrica Fernanda Penkala, coordenadora do Intercâmbio Internacional de Saúde Mental e Reabilitação; e pelo psicólogo e consultor do Ministério da Saúde, Décio Castro Alves, durante a mesa redonda composta para discutir a importância de se buscar alternativas que fortaleçam a participação da população e garantam, entre outras coisas, os princípios da Política Nacional de Saúde.

Para o psiquiatra Marcelo Kimati, essa política deve ser reforçada com a difusão da essência do SUS entre os profissionais. “Eu defendo sempre que nós temos que esquecer a idéia de que somos a tábua de salvação, e que devemos praticar o gesto humano e humilde de dar um telefonema, para trocar experiências com outros profissionais, para resolver o problema de acordo com a defesa de um SUS universal, integral e igual para todos”, declarou.

A prática da internação ou interdição do paciente psiquiátrico começa ser cada vez menos indicada devido ao fator emocional e ao processo de ressocialização, principalmente dentro dos Centros de Apoio Psicossocial (CAPs). “Esse pensamento de reintegração a partir do fortalecimento dos laços familiares e comunitários, aliado ao acompanhamento clínico, possibilita cada vez mais a ideia da abertura dos chamados hospitais psiquiátricos e outras unidades para que se possa até mesmo fazer o controle social, evitando que estes se tornem lugares de tortura, como já ocorreu em muitos casos”, alertou o psicólogo e consultor do Ministério da Saúde, Décio Castro Alves.

CAPs

A ressocialização dos usuários pelo acesso ao trabalho, lazer, exercício dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários, tem sido uma prática cada vez mais difundida no estado de modo a tornar o acesso ao acompanhamento psicossocial mais democrático, humanizado e mediado pelos CAPs em todo o estado, evitando a internação e o tratamento médico puro e simples de acordo com a secretaria-adjunta, Cristina Loyola.

“Os CAPs possibilitam exatamente os mecanismos necessários para que haja uma redução de danos aos usuários e dependentes. Mas é preciso que nós turbinemos estes mecanismos, e que se extinga a ideia de internação e transferências absurdas de pacientes de municípios que contam com esse tipo de unidade, mas, que mesmo assim enviam pacientes para internação em São Luís”, disse.

Para o coordenador Estadual de Saúde Mental, Raimundo Teodoro, “muito já se avançou na política de acompanhamento dos CAPs, com o crescimento do número de unidades em todo o país. Atualmente são 1.550 unidades, 60 em todo Maranhão”.

Em São Luís funcionam dois CAPs-AD (Álcool e drogas), sendo um mantido pelo estado e outro pelo município. Em breve mais uma unidade CAPs III, a maior da categoria, deverá ser inaugurada e funcionará em regime de 24 horas, ou seja, emergencial.

“Isso faz parte de uma decisão tomada mediante uma deliberação do Ministério da Saúde, que deixou a cargo dos estados aderirem a um aumento no horário de atendimento. Nós iremos atender pacientes a qualquer hora do dia ou da noite uma vez que os problemas de saúde não escolhem hora para acontecer”, reforçou.

Fonte: SES

Ricardo Murad defende acesso de qualidade aos serviços do SUS

O acesso com qualidade de todos os maranhenses ao Sistema Único de Saúde (SUS) foi defendido pelo secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, nesta quarta-feira (5), durante a abertura da 8ª Conferência Estadual de Saúde, no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana.  Ao final do evento, que termina nesta quinta-feira (6), será elaborado um documento com as propostas de melhoria da assistência prestada aos usuários do SUS, que serão aprovadas em plenária e apresentadas pela comissão de delegados e representantes do Maranhão na 14ª Conferência Nacional, dia 30 de novembro, em Brasília.

Participam da conferência trabalhadores da saúde, usuários do SUS, representantes dos governos estadual e municipais, e da sociedade civil de todo o Maranhão. Os 1.103 conferencistas inscritos debatem temas relacionados ao acesso e acolhimento do usuário na rede pública de saúde, prestação de serviços com qualidade e política de saúde na seguridade, e controle social, levando em conta os princípios da integralidade, universalidade e equidade defendidos pelo SUS.

Ricardo Murad convidou os conferencistas a debaterem e conhecerem o novo modelo de gestão em saúde que vem sendo implantado no Maranhão, a partir da reestruturação do sistema com o funcionamento das 82 novas unidades do Programa Saúde é Vida (72 hospitais e 10 UPAs), a serem entregues até 2012, e da redefinição de pactos com os municípios, com a divisão do estado em 19 regiões e 8 macrorregiões de saúde.

“Temos hoje um grande desafio que é a implementação de uma política aprovada pela Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que delega responsabilidades aos gestores e exige o cumprimento de metas para que possamos oferecer um sistema integrado de atendimento em saúde, capaz de atender com qualidade a todos os maranhenses”, disse Ricardo Murad, ressaltando não ser mais admissível que os municípios deixem de honrar compromissos, como o de fazer a vacinação das crianças e de manter em funcionamento um serviço de pronto atendimento com médico de plantão 24 horas.

Mostrando gráficos e dados estatísticos, o secretário destacou os avanços obtidos com investimentos estaduais na área da saúde ao longo de dois anos e meio. Entre eles, ressaltou o crescimento da oferta de leitos hospitalares e do acesso à rede de serviços, com a forte participação do Estado na implantação de novas unidades, inclusive na área da alta complexidade. De 2009 a 2010, a quantidade de atendimentos ambulatoriais subiu de 9.834.030 para 11.337.386, e o de internações passou de 20.043 para 21.742.

“Em 2010, gastamos R$ 273.169,247,00 de recursos próprios do Estado para manter as nossas unidades de saúde. Em 2011, esse gasto subiu para R$ 378.418.213,00 e estimamos que em 2012 aplicaremos R$ 625.156.621,00 do Tesouro Estadual em nossa rede própria, considerando a inauguração das demais unidades do Programa Saúde é Vida. É o maior investimento em saúde pública do Brasil”, enfatizou o secretário.

Ricardo Murad também informou aos conferencistas que ainda este ano serão inaugurados mais cinco hospitais de 50 leitos, 20 hospitais de 20 leitos e cinco Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), em Imperatriz, Codó, Timon, São João dos Patos e no Araçagi. “Todas as demais unidades do Programa Saúde é Vida serão entregues em 2012”, completou ele, anunciando, sob aplausos, que a Secretaria de Estado da Saúde (SES) contratou o Hospital do Coração (HCor) para capacitar todos os médicos, enfermeiros e auxiliares de enfermagem da rede de urgência e emergência de todo o Maranhão. “Nosso objetivo é assegurar que todos os municípios ofereçam aos seus cidadãos uma porta de entrada segura, acessível e de qualidade no SUS”, concluiu.

A diretora do Departamento de Apoio à Gestão Participativa do SUS, Júlia Maria Santos Roland, representando o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, falou sobre a importância dos avanços já obtidos durante 21 anos de existência do SUS. “O pensamento do ministro Padilha é de que o SUS pode seguir especificidades devido ao fato de que o Brasil é continental, mas que independentemente de qualquer situação ele leve em conta a universalidade, a integralidade e a equidade do sistema”, complementou.

Após a solenidade de abertura – da qual participaram os deputados estaduais Doutor Pádua, Antônio Pereira, Vianey Bringel e Roberto Costa; a presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), Iolete Arruda; o vice-presidente da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), Vadilson Dias -, o evento prosseguiu à tarde com a palestra proferida pelo subsecretário José Márcio Leite, como o tema central “Todos usam o SUS! SUS na seguridade social, política pública, patrimônio do povo brasileiro”.

José Márcio Leite disse que antes o sistema era organizado para atender casos agudos e isso precisa ser modificado. “Hoje, precisamos adequar a rede para atender as doenças crônicas, que correspondem a 66,3% dos doentes no Brasil. Mas não podemos dar esse choque de gestão sem antes ter uma ampla discussão com a sociedade civil. E é para isso que estamos aqui”, conclui ele.

Fonte: SES

UPA do Parque Vitória realiza 5 mil atendimentos em um mês

Mais de 5.200 atendimentos de clínica médica, pediatria e serviço social foram realizados pela Unidade de Pronto Atendimento do Parque Vitória nestes primeiros 30 dias de funcionamento. “O grau de profissionalismo e a qualidade do atendimento têm aumentado a confiança da população em nossas UPAs, o que comprova o sucesso do Programa Saúde é Vida”, declarou o secretário Ricardo Murad, ao avaliar a demanda registrada naquela unidade de saúde.

Nos primeiros 30 dias foram realizados na UPA do Parque Vitória 3.546 atendimentos na área de clínica médica, 1.493 de pediatria e 237 de serviço social. “A nossa avaliação é muito positiva porque a comunidade tem nos procurado com a certeza de encontrar equipes empenhadas em atender com qualidade e eficiência”, completou a diretora da UPA, Quitéria Farias.

A UPA é um serviço de pronto-atendimento que funciona em horário integral, inclusive nos fins de semana. A unidade está equipada para atender desde pequenas e médias emergências, e estabilizar pacientes mais graves, como nos casos de infarto e acidente vascular cerebral (AVC), até que estes sejam removidos para um hospital.

A primeira UPA do Maranhão foi inaugurada no Itaqui Bacanga e já realizou mais de 100 mil atendimentos em um ano de funcionamento. Neste mês de setembro foram inauguradas outras UPAs no Vinhais, Cidade Operária e no município de Coroatá.

O auxiliar de pedreiro Domingos Barbosa, 32 anos, esteve na manhã desta quinta-feira na UPA do Parque Vitória. Ele chegou sentindo febre de 39 graus, foi medicado e estava em observação. O mototaxista Amarildo Corrêa, residente no Parque Vitória, também elogiou o atendimento recebido pela sua esposa que chegou à unidade de saúde apresentando alergia por todo o corpo. “Ela foi prontamente atendida e medicada”, afirmou.

Serviços

Dotada de modernos equipamentos, as UPAs são estruturas de complexidade intermediária entre as unidades básicas de saúde e as portas de urgência hospitalares, com acolhimento e classificação de risco, em conformidade com a Política Nacional de Atenção às Urgências.

Elas estão preparadas para receber casos de pressão alta, febre, cortes e queimaduras, além de realizar o primeiro atendimento dos pacientes acometidos por enfarte ou AVE (Acidente Vascular Encefálico).  Ao todo são 10 unidades de saúde nesta categoria, em todo o Maranhão. No interior, já foi inaugurada a de Coroatá e ainda este ano serão entregues as de Imperatriz, Codó, Timon e São João dos Patos.

As UPAs comporão uma rede de atuação em atendimento de urgência e emergência, que trabalhará em conjunto com os 72 hospitais integrantes do programa Saúde é Vida, para tornar o acesso aos serviços de saúde cada vez mais rápido e eficaz.

Fonte: SES

SES e Ministério do Desenvolvimento Social avaliam o programa Leite é Vida

Dirigentes da Secretaria de Estado da Saúde reuniram-se com representantes do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome nesta quinta feira (22) para avaliar a execução do programa Leite é Vida. Coordenado pela SES, o programa adquire leite de pequenos produtores rurais e distribui para crianças de 2 meses a 7 anos de idade, desnutridas ou em situação de risco nutricional, e gestantes a partir da constatação da gestação pelos exames realizados nos postos de saúde municipais.

Estiveram presentes na reunião o subsecretário da SES, José Márcio Leite, o secretário adjunto de Vigilância em Saúde, Alberto Carneiro, o secretário-executivo da Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Onaur Ruano, e o presidente do Conselho Estadual de Segurança Alimentar, Miércio Roberth.

Durante a reunião, Onaur Ruano destacou a importância deste tipo de avaliação para o desenvolvimento do programa. “Toda oportunidade que temos de contribuir com essa troca de informações é importante”, pontua. “É visível o crescimento do programa. O Maranhão tem se esforçado e conseguido superar as dificuldades”, destacou ele.

O programa Leite é Vida foi implementado pelo Governo Federal em 2004 e vem se ajustando a realidade de cada região. “Hoje distribuímos 26 mil litros de leite por dia. O produto é todo oriundo de agricultura familiar e pequenos produtores rurais.

“Após passar por um processo de pasteurização em indústrias de laticínio, o leite é distribuído aos 100 municípios participantes, que foram previamente cadastrados desde 2009”, explicou Alberto Carneiro.

A SES está articulando para garantir, também, o pagamento direto na conta do produtor, o recadastramento dos beneficiários e a inclusão de fato do pequeno produtor no programa. “O Consea/MA, o Ministério e a SES estão assumindo o compromisso. Assim podemos avançar mais”, disse Miércio Roberth.

Ainda durante a reunião foi reafirmada a necessidade de treinamento daqueles que trabalham diretamente com a distribuição do leite. “Faremos uma capacitação ainda este ano para todos os responsáveis pelos postos de distribuição de leite dos 100 municípios cadastrados”, afirmou José Márcio Leite.

A capacitação terá como objetivo compartilhar com todos os envolvidos do programa Leite é Vida as normas atualizadas, de modo a dinamizar as logísticas de aquisição e distribuição. “Iremos também discutir formas de maior controle e monitoramento do cumprimento das metas pactuadas para a redução da fome e da inseguridade alimentar dos beneficiários do programa”, conclui Alberto Carneiro.

Fonte: SES

SES promove caminhada em comemoração à Semana Mundial da Amamentação

A caminhada em comemoração a Semana Mundial da Amamentação percorreu a Avenida Litorânea

Caminhada e distribuição de panfletos, na Avenida Litorânea, marcaram o encerramento da XIII Semana Mundial da Amamentação. O evento realizado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) teve como principal objetivo alertar para a importância da amamentação exclusiva até o sexto mês de vida dos recém-nascidos.

Integrantes da caminhada abordaram transeuntes e motoristas e distribuíram folhetos informativos sobre a amamentação

Com o slogan “Fale comigo! Amamentação, uma experiência 3D”, a caminhada coordenada pela direção da Maternidade Marly Sarney, unidade mantida pela SES, despertou atenção de transeuntes e banhistas ao longo da avenida. De acordo com a diretora da Marly Sarney, Graciete dos Santos, a ação cumpriu seu objetivo de levar ao grande público, uma mensagem difundida desde a abertura da semana na terça-feira (2).

“Nós temos que propiciar o acompanhamento das futuras mães, e das parturientes dentro das unidades de saúde, mas também responsabilidade de levar até a população, e isso inclui os pais, o resto da família, patrões e empregados, enfim todos os setores da sociedade, o conhecimento de que o leite materno é o alimento mais completo mais apropriado e, portanto o mais importante para a criança até no mínimo o sexto mês de vida”, disse ela.

Para a coordenadora do Banco de Leite da Marly Sarney, Irenildes Rodrigues Costa, a difusão destas informações ajuda também, a incentivar a doação ao banco de leite materno da unidade que tem capacidade para atender até 41 bebês, instalados nas UTI’s e nas unidades de cuidados intermediários (UCI’s) da Maternidade.

“Nossa capacidade diária de armazenagem, quando é possível o estoque, permite inclusive colocar este produto, de suma importância para a vida e saúde dos recém-nascidos, à disposição de outras unidades. Por isso é importante que mais e mais doadoras nos ajudem a preservar e salvar vidas humanas”, alertou.

Assim como aconteceu nos dias de palestras realizadas durante a semana, para a caminhada também foi organizada uma coleta de vidros de café solúvel de 50g ou 100g, indispensáveis no transporte, processamento, armazenagem e no controle da qualidade do leite humano em bancos de leite.

Fonte: SES

SES recadastra produtores que atendem o Programa Saúde é Vida‏

Representantes da Secretaria de Saúde, do Ministério de Desenvolvimento Social e da Agerp reunidos

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) está realizando o recadastramento dos produtores de leite do Programa Leite é Vida, que distribui gratuitamente 46 mil litros diários de leite tipo C para crianças de zero a seis anos de idade, nutrizes e gestantes. A ação é uma determinação do secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad, pactuada com a coordenação nacional do Programa de Aquisição de Leite, do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), e tem como objetivo reestruturar o programa para torná-lo ainda mais eficiente e sintonizado com as metas estabelecidas pelo Governo Federal.

Para avaliar o trabalho de campo, que durou mais de 10 dias, o secretário adjunto de Vigilância em Saúde, Alberto Carneiro, reuniu-se com o chefe do Departamento de Suplementação Alimentar da SES, João Batista Fernandes, técnicos do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) Leite e da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), parceiros da SES na realização do recadastramento.

Além do reconhecido alcance social, o Programa se consolidou pelo estímulo ao desenvolvimento econômico do Maranhão, propiciando o crescimento da cadeia produtiva do leite no estado, com ênfase nos pequenos produtores. Segundo Alberto Carneiro, para ser um fornecedor do Leite é Vida, é preciso atender a alguns critérios. O principal deles é fazer parte do grupo pequenos agricultores beneficiados pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

“O levantamento foi muito importante e válido. Desta forma, estamos identificando os agricultores que realmente atendem aos critérios exigidos pelo programa, tendo a possibilidade de agregar novos produtores. O Leite é Vida vem sendo executado com sucesso e a nossa intenção é fazer com que o programa funcione ainda melhor”, disse ele, afirmando que o bom desempenho do governo foi atestado pela coordenadora Nacional do PAA Leite, Zorilda Araújo, em encontro recente.

O cadastro atual da SES reúne cerca de 1.800 produtores de leite. Para João Batista Fernandes, depois do recadastramento, este número pode chegar a mais de dois mil. Ele informou que a SES e a Agerp continuarão a realizar o levantamento nos 100 municípios maranhenses que fazem parte do Programa Leite é Vida. “Estamos às vésperas de renovar o convênio com o MDS para continuar distribuindo leite para as famílias maranhenses e o Estado vem preenchendo todos os requisitos para que isso seja da melhor forma possível”, destacou ele.

Presente à reunião de avaliação, o representante da Agerp, David Gonçalves, considerou positiva a parceria firmada com a SES. “Esse é um programa muito importante, que merece toda nossa atenção. De uma forma geral, o trabalho de campo está sendo feito a contento, grande parte dos pequenos produtores está habilitada a fornecer o leite de qualidade. A maior dificuldade que eles nos apontaram é a questão da falta de tanques de armazenamento do leite, que já está sendo providenciado pelos municípios”, ressaltou David Gonçalves.

Fonte: SES

SES realiza bandeiraço em comemoração ao Dia Mundial sem Tabaco

Um bandeiraço, a partir das 8h30 desta terça-feira (31), promovido pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Superintendência de Vigilância Sanitária Estadual (Suvisa), marcará as comemorações pelo Dia Mundial Sem Tabaco.

O bandeiraço, que traz a Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco como tema, será realizado em frente à sede da SES (Avenida Carlos Cunha, em São Luís), com distribuição de material educativo e brindes para os condutores de veículos que passarem pelo local.

O objetivo é destacar os riscos à saúde associados ao tabagismo e fomentar políticas eficazes para a redução do consumo. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o tabagismo é a segunda maior causa de mortes no mundo, após a hipertensão, e atualmente mata um em cada 10 adultos.

Para o superintendente de Vigilância Sanitária, Arnaldo Muniz Garcia, a data faz parte de uma política mundial de controle do tabaco. “A lembrança do Dia Mundial Sem Tabaco, 31 de maio, além de fomentar políticas públicas de controle, visa sensibilizar a população para os males do fumo e para a Lei Estadual nº 9.010/2009, que regulamenta o controle e a fiscalização do tabaco em todo o Maranhão”, disse Arnaldo Muniz.

A ConvençãoQuadro Para Controle do Tabaco (FCTC), como é conhecida internacionalmente, é o primeiro tratado negociado sob incentivo da OMS, que representa instrumento mundial de controle do tabaco. Mais de 170 países já aderiram à convenção.

O Dia Mundial Sem Tabaco foi criado em 1987 com o objetivo de chamar a atenção da humanidade para a epidemia do tabaco e seus efeitos letais. O tabagismo é a maior causa de morte prevenível enfrentada pela comunidade médica.

Estatística

Segundo dados apresentados pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca/IBGE) existem 1,25 bilhão de fumantes no mundo consumindo cerca de 6 trilhões de cigarros por ano. No Brasil, são 24,6 milhões de fumantes acima dos 15 anos de idade, ou seja, 17,2% da população nessa faixa etária. Deste grupo, 14,8 milhões são homens, contra 9,8 milhões de mulheres e 70% adquirem o hábito de fumar entre os 14 e 17 anos.

A cada ano três milhões de pessoas morrem em todo o mundo em decorrência de doenças associadas ao fumo. No Brasil morrem 200 mil pessoas por ano de doenças relacionadas diretamente ao cigarro. São 8 a 10 pessoas por hora.

O fumo está ligado à origem de tumores malignos em oito órgãos (boca, laringe, pâncreas, rins e bexiga, além do pulmão, colo do útero e esôfago). Noventa por cento dos casos de câncer do pulmão, 30% de todos os outros cânceres, 85% das doenças pulmonares obstrutivas (enfisema e bronquite) e 50% das doenças cardiovasculares estão associados ao fumo. Das 4.720 substâncias contidas no cigarro, cerca de 60 a 70 são cancerígenas.

A probabilidade dos homens fumantes se tornarem sexualmente impotentes é duas vezes maior do que naqueles que não fumam – de acordo com pesquisa realizada pela Universidade de Boston.

Fonte: SES

SES realiza mutirão contra a dengue na Cohab

A Cohab recebeu nesta sexta-feira (6) ações do Mutirão Emergencial Contra a Dengue em São Luís. A caminhada promovida pelo governo do Estado, sob a coordenação da Secretaria de Estado da Saúde (SES), marcou a intensificação do combate ao mosquito Aedes aegypti no bairro e adjacências. De acordo com a SES, a incidência de casos da doença na capital diminuiu cerca de 60%.

A concentração para a caminhada chamou a atenção de moradores e comerciantes da principal via de acesso ao bairro, a avenida Jerônimo de Albuquerque. Por onde passou o “exército” formado pelos participantes do mutirão enfatizou a importância de se prevenir contra a dengue, com a adoção de medidas que impeçam a reprodução do mosquito transmissor da doença.

Após a caminhada, são realizados os serviços de capina, limpeza de terrenos e logradouros, desenvolvidos com o apoio da Prefeitura de São Luís, e a visita casa a casa feita pelos técnicos da Vigilância Sanitária e Epidemiológica Estadual, conjuntamente com homens do Corpo de Bombeiros e do Exército, Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e da Funasa, técnicos da Caema e outros parceiros integrantes do mutirão.

Essas e outras atividades fizeram parte da 6º ação das 10 etapas programadas para combater a larva e o mosquito transmissor da dengue na capital. As etapas foram instituídas pela SES e destinadas a áreas consideradas críticas, apontadas pela Vigilância Epidemiológica municipal, visando a intensificação do combate direto nos bairros, para que o risco de uma epidemia de dengue fosse anulado.

Hoje, 47 dias depois do lançamento oficial do mutirão, feito pela governadora Roseana Sarney e pelo secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad, os dados oficiais comprovam que as medidas planejadas para um período de 90 dias já surtiram o efeito desejado.

“A possível epidemia já se encontra distante da realidade, uma vez que ao longo de quatro semanas consecutivas nota-se uma queda acentuada no número de casos, e que durante todo este período em que estamos monitorando os casos houve registros de apenas um óbito por dengue confirmado na capital”, avalia o superintendente de Vigilância Epidemiológica da SES, Henrique Jorge dos Santos.

De acordo com a Coordenação Estadual de Combate a Dengue, da 13ª semana até a 17ª, de 2011, o número de casos da doença que era de 400 notificações, sofreu uma redução de 60%, o que corresponde a apenas 130 casos, numa população de mais de um milhão de habitantes.

Segundo Henrique Jorge todos estes dados devem ser acrescidos positivamente, uma vez que o período compreendido entre o final deste mês e começo de junho propicia naturalmente uma diminuição natural da infestação devido a fatores climáticos. “Nós esperamos que esses números sejam alterados com a diminuição da chuvas, mediante a chegada do período mais quente, em nossa cidade”, acrescentou ele.

As informações são da Secom do Estado.

Do:imirante.com

SES coordena Dia D de mobilização contra a Influenza

Mais de 1.700 postos, entre fixos e volantes, estarão abertos no Maranhão neste sábado, das 8h às 17h, para o Dia Nacional de Mobilização contra a Influenza. Também conhecida como Dia D, a estratégia tem como objetivo ampliar o acesso à vacinação contra a gripe, que este ano, além dos idosos, abrange mulheres grávidas, crianças entre seis meses e dois anos, profissionais de saúde e indígenas de todas as faixas etárias. A abertura do dia de mobilização está marcada para as 8h30, no Centro de Saúde da Liberdade.

A Influenza é uma infecção viral que afeta o sistema respiratório, mais precisamente o nariz, garganta e os brônquios. Para evitar a circulação do vírus no estado, todos os municípios maranhenses foram mobilizados para desenvolver ações neste Dia D da campanha, coordenada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).

“A recomendação é que as pessoas procurem os postos perto de casa munidos do cartão de vacinação. Esperemos que a população alvo atenda ao nosso chamado”, orientou o secretário adjunto de Vigilância em Saúde, Alberto Carneiro.

Novidade deste ano, a vacina que está sendo aplicada é trivalente, com proteção também para vírus da influenza A, incluindo o H1N1, e para Influenza B. As crianças menores de dois anos e maiores de seis meses serão vacinadas em duas etapas, com 30 dias de intervalo entre as doses.

Crianças fora desta faixa etária não precisam tomar a vacina. Os demais grupos alvo receberão apenas uma dose.

“Os trabalhadores de saúde que queremos atingir são aqueles que exercem atividades de promoção e assistência à saúde, dos serviços públicos e privados. Todas as gestantes, independente do período de gravidez, devem procurar os postos porque a vacina é segura”, assinalou Alberto Carneiro.

Escolas, igrejas, associações e pontos comerciais servirão de postos de vacinação, neste sábado (30), mobilizando um batalhão de cerca de dois mil profissionais em todo o estado. A meta é alcançar, até o dia 13 de maio, 932.013 pessoas em todo o estado, sendo 82.772 trabalhadores de saúde, 30.815 indígenas, 131.199 gestantes, 192.452 crianças de seis meses a dois anos e mais 494.775 idosos a partir dos 60 anos.

A campanha, que iniciou na última segunda-feira (25), já imunizou 12.112 pessoas, segundo informações do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações, divulgadas na tarde desta sexta-feira (29). Segundo Alberto Carneiro, o dado ainda é parcial e não condiz à realidade dos municípios.

“Todas as cidades estão vacinando normalmente, ocorre que a alimentação do sistema não é feita com a mesma velocidade. Até o momento, por exemplo, ainda não temos nenhuma informação dos municípios maiores como Imperatriz, Caxias, Açailândia, Timon”, esclareceu o secretário adjunto de Vigilância em Saúde, acrescentando que da região metropolitana, apenas São Luís, Paço do Lumiar e Alcântara, até esta sexta-feira, haviam informado sobre o quantitativo de vacinas aplicado.

As informações são da Secom do Estado.

Do: imirante.com