Tag Archives: Ricardo Murad

Ricardo Murad discute questões da saúde com o ministro Alexandre Padilha

O secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, apresentou ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha, nesta quarta-feira (30), propostas que visam facilitar o acesso e elevar a qualidade dos serviços oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Maranhão. Da audiência, também participaram o vice-governador Washington Luiz Oliveira, o deputado federal Francisco Escórcio e o subsecretário de Saúde, José Márcio leite.

Durante o encontro, Ricardo Murad defendeu a imediata habilitação e qualificação das 10 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) em funcionamento no Maranhão, já que até agora somente cinco delas estão recebendo recursos do Governo Federal para o custeio mensal. Para mantê-las em pleno funcionamento, o Governo do Estado gasta cerca de R$ 1 milhão por mês.

Também na pauta da audiência com o ministro os valores pagos mensalmente pelos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) credenciadas pelo SUS no Maranhão; a implantação das redes de urgência e emergência e Cegonha no estado; e a elaboração da Programação Pactuada Integrada (PPI), que estabelecerá novos pactos entre os municípios e destes com o Estado para a oferta dos serviços de saúde pública no Maranhão.

Ricardo Murad aproveitou o encontro para convidar o ministro a participar do I Congresso Maranhense de Medicina, que reunirá especialistas de todo o país em São Luís, no período de 3 a 7 de julho deste ano, dentro da programação alusiva aos 400 anos da capital maranhense. As doenças crônicas serão o tema central do evento.

Governo inaugura segundo andar totalmente reformado do Hospital Carlos Macieira

A governadora Roseana Sarney e o secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, inauguraram na manhã desta segunda-feira (21), o segundo andar totalmente reformado do Hospital de Alta Complexidade Dr. Carlos Macieira (HCM). São 38 novas vagas de internação à disposição da população maranhense, sendo 25 para clínica médica e 13 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulta – unidades cárdio coronariana – aumentando para 186 o número de leitos de UTI na rede estaual de saúde.

Com uma infraestrutura modernizada, o andar inaugurado dispõe ainda de enfermarias com apenas dois leitos separados por cortinas, o que prioriza a privacidade dos pacientes e seus acompanhantes, além de camas elétricas que possibilitam ao usuário ou familiar definir altura e regulagem dos movimentos sem necessitar de ajuda, por ser tudo automatizado. Em cada uma das enfermarias foram instalados banheiros adaptados com barras de apoio para evitar quedas, bem como aparelhos sanitários para usuários com algum tipo de deficiência. Também foram instaladas barras de apoio em todos os corredores do andar.

A governadora Roseana Sarney ressaltou o intenso comprometimento do Governo do Estado em tornar o sistema de saúde pública do Maranhão um sistema totalmente integrado. “Mais uma etapa está sendo cumprida aqui no Hospital Carlos Macieira. Hoje estamos colocando em funcionamento mais 13 leitos de UTI, o que vai ajudar efetivamente o processo que nós estamos desenvolvendo aqui em São Luís, inaugurando UPA’s e atentos também ao atendimento de Alta Complexidade, o que vem dando muito mais tranquilidade e eficiência ao trabalho da saúde em São Luís e no Maranhão”, destacou.

Saúde é Vida

Para o secretário Ricaro Murad, os 13 novos leitos de UTI representam um ganho considerável dentro da estutura de terapia intensiva do estado. “A revolução que o Programa Saúde é Vida tem feito na saúde do Maranhão é algo inacreditável para padrões que antes eram pensados no estado. O programa avança e se consolida; os profissionais que estão trabalhando na rede pública são todos de ponta; as nossas unidades estão sendo consideradas tanto por profissionais como pelo próprio público que é atendido como unidades de primeira linha, que não devem nem aos melhores serviços particulares. É isso que a gente quer, que a saúde pública seja um direito do cidadão, e que, ao adentrar uma unidade de saúde do estado, ele seja atendido com o que melhor pode dispor em termos de serviços médicos”, frisou.

Roseana Sarney falou ainda sobre outras obras do Programa Saúde é Vida que deverão ser entregues em breve à população. “Já estou indo essa semana inaugurar o hospital em São Félix de Balsas e para dar ordem de serviço para o início das obras no hospital de Balsas. Já temos 28 hospitais em fase de conclusão que nós vamos entregrar até o fim de junho. Assim a rede está sendo construída e até o final do meu mandato eu tenho certeza que nós teremos outra saúde no Maranhão”.

HCM

Com cinco andares, o HCM passa, pela primeira vez desde que foi inaugurado há 30 anos, por uma ampla reforma que começou em 2010. Mesmo em obras, as atividades da unidade de saúde nunca foram paralisadas. Para tanto, a reforma foi planejada para ser feita em etapas, sendo que parte do térreo, o terceiro e o quinto andares daquela casa de saúde já foram inaugurados e estão em pleno funcionamento.

No térreo estão funcionando duas UTIs, uma pediátrica com cinco leitos, outra adulta de 11 leitos, além do serviço de imagem como tomografia, ecocardiograma e ultrassom, e o setor de nefrologia. No primeiro andar está localizada a administração do hospital e no terceiro andar estão instalados 25 leitos de Unidade Semi-intensiva e 13 de UTI.

O secretário Ricardo Murad fez um detalhamento do processo de reforma do HCM. “Essa obra deve concluída em abril de 2013 para que todo o complexo do hospital Carlos Macieira esteja funcionando integralmente. Nós já temos pronto o quinto e o terceiro andar, e hoje nós estamos entregando o segundo andar. Já temos pronta metade do andar térreo, onde funciona a outra bateria de UTI’s, e estamos em obras na outra metade do térreo e em parte do primeiro andar, onde vai funcionar a hemodinâmica e nove centros cirúrgicos, além de outra UTI com mais 13 leitos”, finalizou.

Governadora Roseana inaugura Hospital Geral de Barreirinhas

Governadora Roseana e demais autoridades inauguram Hospital Geral de Barreirinhas

O município de Barreirinhas, porta de entrada dos Lençóis Maranhenses, agora conta com uma moderna unidade de saúde pública, funcionando 24 horas por dia para facilitar o acesso da população aos procedimentos de média complexidade. Trata-se do Hospital Geral de Barreirinhas, mais uma obra do Programa Saúde é Vida inaugurada nesta sexta-feira (13) pela governadora Roseana Sarney e pelo secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad, que passa a integrar a rede estadual de urgência e emergência.

O Hospital Geral de Barreirinhas é a 18ª unidade do Programa Saúde é Vida entregue à população maranhense, e recebeu um investimento total de R$ 6.590.515,50 de recursos exclusivamente do governo estadual (R$ 5.245.515,50 gastos em obras civis e R$ 1.345.000,00 em equipamentos). Com 50 leitos de internação clínica, a unidade garante aos pacientes atendimento nas áreas de cirurgia, traumatologia, obstetrícia, pediatria, clínica médica, com apoio de anestesista.

Na área de diagnóstico, serão realizados exames laboratoriais, raio-x, ultrasonografia e eletrocardiograma. A sala vermelha, onde serão assistidos os casos mais graves, conta com seis leitos de unidade semi-intensiva, funcionando 24 horas por dia. O hospital também terá o apoio de uma ambulancha – lancha dotada de equipamentos de ressuscitação e imobilização – e uma ambulância.

“Nós estamos mostrando que a saúde é uma prioridade do nosso governo e esta obra, assim como a MA 402, construída em nossa gestão, será fundamental para essa região, que só em 2011 recebeu cerca de 180 mil turistas”, declarou a governadora, ao lado do prefeito Albérico Filho, de Ricardo Murad, de deputados e outros secretários estaduais que foram a Barreirinhas para a inauguração. Ela acrescentou que outros investimentos serão feitos pelo governo estadual para dar condições para o desenvolvimento do turismo na região, priorizando o aeroporto da cidade, as obras de esgotamento sanitário, a expansão da rede de energia elétrica e a regularização de terras.

Ricardo Murad informou que o Hospital de Barreirinhas – assim como os de Morros e Paulino Neves, já inaugurados, e os de Santo Amaro e Primeira Cruz, que estão em fase de conclusão – garantirão saúde de qualidade aos moradores e visitantes da região dos Lençóis Maranhenses. “E essas unidades integrarão uma rede de 50 hospitais mantidas pelo Estado”, acrescentou ele.

Albérico Filho ressaltou que a governadora Roseana será eternamente lembrada pelas duas grandes obras realizadas em Barreirinhas: a MA 402 e o hospital estadual. “Com essa unidade moderna, bem equipada e com profissionais altamente capacitados, nossa população e nossos visitantes terão assegurados saúde pública de qualidade”, enfatizou.

O ministro Gastão Vieira, que também integrou a comitiva, informou que Roseana tem cobrado ações efetivas do Ministério do Turismo em benefício do Maranhão, com atenção especial aos Lençóis Maranhenses. “Obras como esta são de fundamental importância para a estruturação do turismo desta região que tem atrativos únicos, não encontrados em qualquer outro país”, declarou.

Roseana Sarney e demais autoridades na ambulancha

Depois de descerrar a placa de inauguração e de visitar as instalações do hospital, a governadora e sua comitiva foram ao cais da avenida Beira Rio para vistoriar a ambulancha. “Esta lancha está totalmente equipada para o resgate médico de ribeirinhos ou de turistas que necessitem ser levados para o Hospital de Barreirinhas”, informou Ricardo Murad.

Acompanharam a governadora, os deputados Arnaldo Melo, Edilázio Júnior, Antônio Pereira, Marcos Caldas e Magno Bacelar, além dos secretários estaduais João Alberto (Programas Especiais), Jura Filho (Turismo), Hildo Rocha (Assuntos Políticos), Victor Mendes (Meio Ambiente), Sérgio Macedo (Comunicação Social) e José Ribamar Vieira (Gabinete Militar).

Já foram inaugurados os hospitais de Lago dos Rodrigues, Paulino Neves, Morros, Magalhães de Almeida, Grajaú, Sucupira do Riachão e Jatobá, além de 10 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) – cinco localizadas na ilha de São Luís e as outras cinco nos municípios de Imperatriz, Coroatá, Timon, Codó e São João dos Patos.

Fonte: SES

Murad presta esclarecimentos sobre ações do Estado na Saúde

Em sessão especial realizada nesta terça-feira (20), na Assembleia Legislativa, o secretário de Saúde do Estado, Ricardo Murad, atendendo a convite da Comissão de Saúde da Casa, prestou esclarecimentos a respeito das ações de saúde desenvolvidas pelo governo do Estado. A sessão começou pela manhã e adentrou a noite, prolongando-se por quase oito horas.

Após Ricardo Murad fazer uma ampla exposição das ações desenvolvidas em sua pasta, os deputados tiveram oportunidade de questioná-lo a respeito das supostas irregularidades denunciadas pela Oposição para a execução das obras de infra-estrutura e serviços implantados pela secretaria de Saúde.

O deputado Marcelo Tavares, líder do Bloco de Oposição, reafirmou as denúncias relativas à dispensa de licitação na contratação de empresas para construção dos hospitais e do uso indevido do helicóptero contrato pela Secretaria de Saúde para o transporte de doentes, mas que, segundo o próprio Marcelo,  são usados para o transporte de autoridades. Ricardo negou que tenha feito contrato sem licitação e que o helicóptero, de fato, transportou dois secretários do governo em missão oficial, o que considera normal.

A deputada Cleide Coutinho (PSB) cobrou a verba da Saúde de Caxias retirada pelo governo do Estado. Ricardo respondeu dizendo que não depende do governo do Estado, mas das resoluções baixadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que define os critérios para repasse de recursos.

Os deputados Rubens Júnior (PC do B) e Bira do Pindaré (PT) reafirmaram as denúncias feitas pela Oposição e questionaram o atraso no programa de execução das obras dos hospitais. O secretário de Saúde esclareceu que variáveis de operacionalização podem levar qualquer governo a ter que alterar cronograma de obras.

O deputado Neto Evangelista (PSDB) cobrou explicações sobre a forma de manutenção e funcionamento dos novos hospitais. Já a deputada Eliziane Gama (PPS) questionou a existência de dificuldades de atendimento da rede estadual de saúde, especialmente no atendimento a crianças e a enfermos de doenças crônicas.

O deputado Carlinhos Amorim (PDT) cumprimentou Ricardo Murad por atender ao convite da Comissão de Saúde, mas fez a ressalva de que considera uma injustiça a afirmação feita pelo secretário de Saúde de que governos anteriores nada fizeram pela Saúde do Estado. Por sua vez, a deputada Gardenia Castelo (PSDB) indagou Ricardo Murad sobre o porquê de, em dois anos e cinco meses, o governo do Estado ter conseguido fazer funcionar a rede de Saúde em apenas três macrorregiões e, também, destacou a sobrecarga da rede municipal de São Luís dada a carência de hospitais de urgência e emergência.

GOVERNISTAS ELOGIAM

Magno Bacelar (PV) fez elogios ao trabalho do secretário de Saúde e afirmou que esta foi uma sessão “histórica” da Assembleia.  Segundo Magno, Ricardo Murad é o melhor secretário de Saúde do Brasil e que o governo estadual está realizando uma revolução no Sistema de Saúde do Estado do Maranhão.

O deputado César Pires (DEM) louvou a fala de Ricardo Murad, elogiou a Comissão de Saúde da Casa e afirmou que a Oposição faz crítica equivocada em relação aos processos de licitação para a contratação de obras na Saúde. O deputado Marcos Caldas (PRB) elogiou o trabalho desenvolvido pelo secretário de Saúde, mas reclamou que Brejo e outros municípios do Baixo Parnaíba estão carentes de hospitais.

A deputada Valéria Macedo (PDT) cobrou a posição do secretário Ricardo Murad a respeito da construção de um hospital de alta complexidade e da implantação do curso de Medicina em Imperatriz e do pagamento do piso salarial para enfermeiros e técnicos de enfermagem. Ricardo respondeu que há dois pedidos no ministério da Saúde para a construção do hospital, um do Estado e outro da Prefeitura de Imperatriz, mas que falta recurso no momento; que o governo do Estado vai viabilizar toda a infra-estrutura necessária para fazer funcionar o curso de Medicina, que é a favor do pagamento do piso, mas questionou a capacidade dos municípios de suportar a despesa.

Em suas considerações finais, o secretário Ricardo Murad disse se sentir honrado em ter participado do debate e de está de volta à Assembleia, que é seu lugar, e que se coloca sempre à disposição para debater a construção de um Sistema de Saúde capaz de dar respostas efetivas e concretas ao povo do Maranhão. Ele concluiu tecendo elogios à governadora Roseana. “Quero fazer justiça à governadora Roseana ao reconhecer que nunca um governo em tão pouco tempo realizou tanto na área de Saúde. A governadora merece o aplauso do povo do Maranhão”.

Do: al.ma.gov.com

NOTÍCIAS FAMEM

O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM), prefeito Júnior Marreca, reuniu-se na manhã desta quarta-feira (4) com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (COSEMS) e o secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, para abordar as propostas de regionalização do sistema público de saúde no Maranhão. O assunto foi tema da reunião extraordinária da Comissão Intergestores Bipartite (CIB).

“Somente através da regionalização conseguiremos corrigir distorções como a verificação da produtividade de cada município. Existem cidades que recebem recursos para fazer procedimentos de alta complexidade e a execução destes procedimentos são contabilizados para municípios maiores. Isso, perante o Ministério da Saúde, acarreta perda de recursos”, explicou Marreca.

Estavam também presentes no auditório da Assembléia Legislativa do Maranhão gestores públicos, entre prefeitos e secretários municipais de saúde de várias cidades maranhenses, além de deputados estaduais interessados na questão.

A regionalização do atendimento e o remanejamento de recursos foram temas propostos pela FAMEM e COSEMS e no encontro promovido pela Comissão Intergestores Bipartite, responsável pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para o alinhamento dos municípios com o intuito de se obter soluções e melhorias dos serviços da saúde do Estado.

Durante o evento o secretário de saúde do estado, Ricardo Murad, enfatizou a importância da colaboração da FAMEM neste processo.

“A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão precisa entrar no processo de regionalização da saúde no estado do Maranhão pela imensa seriedade que representa. Júnior Marreca entende e sabe que este processo mudará os rumos da saúde quanto ao repasse de recursos para cada município de acordo com a sua necessidade”, afirmou o secretário.

Gestores municipais relembraram o principal obstáculo enfrentado que é a falta de convergência entre os três sistemas de saúde que o estado possui: Municipal, Estadual e Federal. A melhoria do atendimento, segundo eles, fica prejudicada e muito dos recursos disponibilizados acaba sendo desperdiçado.

O presidente da FAMEM, prefeito Junior Marreca, colocou à inteira disposição dos gestores municipais cursos da Escola de Gestão da entidade para que prefeitos e secretários recebam orientações técnicas e melhor compreendam como manusear os recursos públicos da saúde.

Fonte: FAMEM

REUNIÃO SES

Em reunião extraordinária da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), ocorrida nesta quarta-feira (4), no auditório da Assembléia Legislativa, o secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, conclamou prefeitos e secretários municipais a participarem do processo de reestruturação do sistema público de saúde no estado, proposto pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). “É necessário um novo direcionamento para que o Sistema Único de Saúde (SUS) possa, efetivamente, oferecer o atendimento que a população necessita e tem direito”, enfatizou o secretário.

Secretário Ricardo Murad e demais autoridades na reunião Comissão Intergestores Bipartite (CIB).

A deliberação da CIB sobre a produtividade dos municípios com proposta de remanejamento dos tetos financeiros de média e alta complexidade, a normatização de referência e contra-referência nas macrorregiões e microrregiões, e a Portaria 134, editada pelo Ministério da Saúde para a atualização do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), foram os assuntos da reunião que contou com a participação de dezenas de prefeitos, secretários municipais de Saúde e deputados estaduais.

Ricardo Murad apresentou no encontro a proposta de reorganização da rede pública de saúde no Maranhão em um processo de regionalização que objetiva dar maior qualidade e resolutividade aos serviços de saúde prestados à população maranhense.

Ao lado da presidente do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems), Iolete Arruda, e do presidente da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), Júnior Marreca, Ricardo Murad ressaltou que o processo de regionalização começa a ser discutido num momento oportuno no Maranhão, considerando os investimentos do Estado na construção, reforma e ampliação de unidades de saúde que permitirão uma maior descentralização do sistema. “Começam a ser planejadas redes municipais que não haviam no estado, com o objetivo de definir onde e quando as pessoas serão atendidas com rapidez, sem que ocorram perdas de ordem financeira e até mesmo de  cunho social e humano”, afirmou ele.

Quanto às informações repassadas ao Ministério da Saúde sobre os números de procedimentos realizados nos municípios em gestão plena ou estadual, Ricardo Murad reiterou a importância da fidelidade dos dados para o planejamento do sistema. E defendeu um novo realinhamento do teto financeiro dos municípios para atendimento das demandas em média complexidade.

A proposta de realinhamento baseia-se nos índices de produtividade apresentados pelos municípios em 2010, e prevê que nenhum deles ficará com produção inferior a 85% e nem superior a 95%. “É preciso atender a legislação do SUS sem prejudicar os municípios e ao mesmo tempo assegurar que a população maranhense tenha o melhor sistema de saúde pública”, acrescentou o secretário. A discussão dessa proposta será retomada na próxima reunião da CIB, agendada para dia 13 de maio.

Após manifestação dos gestores municipais, ficou acordado que todos os municípios cumprirão a determinação de fazer o devido encaminhamento dos pacientes que necessitarem de atendimento fora de suas cidades, considerando que muitas pessoas chegam a unidades de saúde em ambulâncias, sem portar a documentação médica e hospitalar, e sem que haja um contato prévio com as centrais de regulação dos serviços de saúde.

Quanto ao cumprimento da Portaria 134, que estabelece novas regras para o cadastro de profissionais de saúde no SUS, a comissão também transferiu a discussão do tema para a próxima reunião da CIB.

Fonte: SES/SECOM

BIMBA PREFEITO DE ROSÁRIO-MA

UM HOMEM É AQUILO QUE FAZ E DEFENDE
Após o almoço em comemoração a volta do secretário Ricardo Murad a equipe de
reportagem da revista Caras e Nomes, conversou descontraidamente com o prefeito Bimba de Rosário. Ele mostra a sua personalidade e o motivo de ser considerado um dos gestores mais polêmicos do Maranhão.

“Era uma vez um macaco que desafiava um elefante.Quando o elefante revidava o macaco subia em uma árvore. Então , o elefante que não podia subir na árvore,disse: O que me desafia não é você, mas o lugar onde você está.Esse lugar é o poder.Se não soubermos conduzir o poder ele vira contra gente”.


É com essa simples parábola, que o prefeito de Rosário, Bimba, nos passa uma valiosa lição sobre o poder, tão cobiçado pelos homens e que muitas vezes se reveste em veneno para suas próprias vidas. O engenheiro agrônomo que foi escolhido pela política agrega a praticidade de quem sabe o que é preciso fazer para melhorar as condições de vida de uma população aos valores e princípios que guiam as suas decisões e suas atitudes. Em dois anos de administração, o prefeito Bimba conseguiu modificar a realidade do município de Rosário através de um trabalho determinado e incansável. Apaixonado pela cultura maranhense, Bimba fala com brilho nos olhos sobre as iniciativas que se empenha em valorizar e incentivar na cidade de Rosário. Tendo a educação como prioridade de sua gestão, ele luta para garantir o acesso de todos os jovens rosarienses a essa que é principal porta para um futuro melhor. Revestido de polêmicas, ele se mantém em uma postura segura firme e segura sobre aquilo que faz e defende. Bimba é criticado por muitos, mas respeitado por todos aqueles que conhecem seu trabalho como gestor e sabem do seu compromisso com a função que desempenha. Aliado de longas datas da governadora Roseana Sarney, Bimba esteve presente no almoço oferecido por prefeitos e amigos em comemoração à volta de Ricardo Murad à secretaria de saúde e concedeu uma entrevista exclusiva e polêmica à Revista Caras e Nomes.

CARAS E NOMES: Prefeito Bimba, obrigada por nos conceder essa entrevista. Fale-nos sobre as principais realizações da sua administração em Rosário nesses dois anos de mandato.

BIMBA: Avançamos muito, modificamos a estrutura arcaica escondida numa capa transparente. Hoje Rosário se orgulha de ter uma Universidade, a UEMA está instalada com cursos presenciais de Matemática, Química, Filosofia e Letras. Os alunos tem acesso à Biblioteca, carteira de estudante e direito assegurado a meia passagem. Estamos avançando em infraestrutura. Em 12 anos, apenas quilômetros de estradas foram feitos. Em dois anos já fizemos 20 quilômetros e mais doze serão iniciados agora. Até pouco tempo a zona rural de Rosário não tinha uma ambulância. Hoje tem uma e o motorista mora lá, para que o socorro seja imediato. São coisas revolucionárias que provam que avançamos muito.

CARAS E NOMES: O senhor encontrou muitos problemas quando assumiu a prefeitura?

BIMBA: Rosário é um município antigo onde tudo o que acontecia era empurrado com a barriga e os problemas estão arrebentando agora no meu mandato. Recebi um município com um milhão e meio de salários atrasados. Eu paguei. A prefeitura de Rosário estava com oito anos de contas elétricas atrasadas, foram todas negociadas e estão sendo pagas. Rosário é uma cidade diferente: a torre da Igreja é para trás e o Rio Itapecuru corre para os dois lados. Então, tudo é complicado. Ninguém desce do palanque, dois anos depois da eleição continuo apanhando. Todos os dias estão me agredindo em rádio e televisão. Mas sabe por que eu sou apanhão? Por que eu nunca chamei nenhum deles para vir me ajudar. Se nós ganhamos a eleição com um grupo, é esse grupo que vai administrar a cidade.

CARAS E NOMES: O seu governo é um dos mais bem avaliados do estado. Esse é um reflexo de seu trabalho?

BIMBA: Voto é reflexo do governo. Se o governo for bem avaliado ele tem voto, se não for bem avaliado não tem voto.Educação

CARAS E NOMES: Podemos afirmar que a educação é uma prioridade em sua gestão?

BIMBA: Sim, pois quando você fortalece o sistema educacional você fortalece o exercício da cidadania que é a coisa mais importante que nós temos. As pessoas sabem que tem deveres, mas também sabem que podem cobrar. Hoje Rosário avançou muito, nove mil alunos pertencem a rede municipal, todos receberam fardamento completo e kit aluno com material escolar. Temos a preocupação em viabilizar as condições mínimas para a educação, que é a prioridade da gestão Bimba, pois só com a educação é possível transformar a sociedade, fora disso não tem saída.

CARAS E NOMES: Os alunos da rede municipal de Rosário vão lançar seu segundo livro de poesias. Conte-nos como funciona essa iniciativa.

BIMBA: Estamos lançando o segundo livro de poesias da rede municipal de ensino, onde pessoas da terceira idade, que conhecem as histórias e as lendas da cidade, contam tudo para os alunos da rede pública de ensino. Esses alunos escrevem poesias a partir do que ouviram e interpretaram através da sua visão de vida. É realizado um concurso que avalia as melhores poesias e compõem o um livro. Já estamos na segunda edição e nos orgulhamos muito dessa iniciativa.

Cultura

CARAS E NOMES: Quem o conhece sabe da sua paixão pela cultura maranhense, em especial pelo bumba-meu-boi. A sua gestão tem trabalhado pelo fortalecimento cultural do município de Rosário?

BIMBA: A cultura é um valor inestimável, não tem preço. Nós temos valorizado muito a cultura maranhense em Rosário. O bumba-meu-boi de orquestra nasceu em Rosário e hoje é patrimônio mundial. Até me emociono pela paixão que tenho pela cultura do nosso estado. Só através da valorização do que é nosso, conseguiremos manter a história da humanidade.

CARAS E NOMES: O carnaval de Rosário é motivo de destaque a nível nacional especialmente o Bloco das carroças que o Sr. é fundador.

BIMBA: Não há lugar nenhum no Brasil bloco tradicional que bata a ritmia de Rosário. Nem Os Fuzileiros da Fuzarca chegam perto de Rosário. Este ano vamos comemorar trinta anos do Bloco das Carroças que eu ajudei a fundar e em trinta anos nunca deixei de participar. E já foi destaque no Jornal Nacional e até no Fantástico da Rede Globo.

CARAS E NOMES: Como começou esse bloco?

BIMBA: Nós éramos universitários e estudávamos em São Luís. Voltávamos para Rosário para aproveitar o final do carnaval. Um dia, subimos em uma carroça para beber e assim fundamos o bloco das carroças. Esse ano vai ser especial, pois a prefeitura está preparando uma grande festa para todos.

Qualificação Profissional

CARAS E NOMES: A cidade de Rosário está recebendo grandes investimentos que demandam mão de-obra qualificada. A prefeitura está investindo na qualificação da mão-de-obra dos jovens de Rosário?

BIMBA: Estamos partindo para a qualificação profissional, para os grandes empreendimentos que serão lançados no Maranhão. Conseguimos com a UNIVIMA a qualificação de mais de 300 jovens e com a Petrobras mais 600 qualificações. Vamos começar depois do carnaval com 1000 vagas de qualificação profissional para jovens de Rosário, que serão aproveitados para trabalhar na refinaria.

CARAS E NOMES: Para garantir a qualificação desses jovens o senhor comprou algumas brigas que causaram polêmica. Qual foi o motivo das suas reivindicações?

BIMBA: A Petrobras tem um programa de qualificação de mão-de-obra e abriu 600 vagas para a região. Fizeram um concurso para aprovar essas pessoas e elas se qualificariam ganhando 300 reais nos dois primeiros meses e 150 no terceiro. Passaram cinco pessoas de Rosário, três de Santa Rita e duas de Bacabeira, apenas 10 pessoas da região. Eu questionei a Petrobras. Como é que vamos ter um investimento na região se os filhos dela não vão tirar proveito? Ai dizem que eu sou polêmico, mas eu brigo para que o morador da região que vai ser desmatada, que vai ser agredida pelo investimento tenha uma contrapartida, que é o emprego. Se a gente não tentar ter um meio termo de compensação que vai melhorar as condições de vida não tem justificativa. Ai dizem que eu brigo muito, mas eu tenho que brigar. Eu sou gestor de uma cidade que está sendo invadida por um empreendimento que vai levar 150 mil pessoas para a região. Isso não é brincadeira.

CARAS E NOMES: E o senhor se considera um prefeito polêmico?

BIMBA: O Bimba é muito polêmico porque nós apanhamos muito, mas também batemos muito. Em política os adversários torcem contra: quanto pior o governo, melhor para a oposição. Alguns são piores que rasga-mortalha, não ajudam, não colaboram para que as coisas avancem.

Refinaria Premium

CARAS E NOMES: Qual a sua posição em relação à implantação da Refinaria Premium no Maranhão?

BIMBA: Eu era cético, nunca acreditei nesse empreendimento, pensei que era apenas uma jogada política, mas agora eu acredito. A Petrobras contratou uma empresa americana que vai fazer o levantamento de engenharia da obra, isso já um fato real. Hoje ela é irreversível, principalmente pelo compromisso da presidente Dilma e nosso amigo Lobão.

CARAS E NOMES: Qual o seu posicionamento em relação às demissões que foram feitas na obra da refinaria?

BIMBA: As demissões eram previstas. A Petrobras errou quando não fez um trabalho de marketing informativo. Em todas as reuniões ela mostra o cronograma de execução da obra e nos três primeiros meses do ano ela pára cinco vezes ao ano. Eu questionei o que seria feito das pessoas desempregadas, eram 1200 e foram demitidos 1120. Apenas 80 pessoas estão no canteiro de obras. Segundo a Petrobras, os demitidos estão recebendo seguro desemprego, estão se especializando e serão colocadas no banco de empregos do Sine para que, assim que abrirem novas contratações em maio, eles sejam chamados.

Metropolização

CARAS E NOMES: O senhor acredita que a metropolização da região poderia trazer benefícios para os municípios? Em que áreas?

BIMBA: Costumo dizer que quanto mais pobres nós somos, mais temos que nos juntar para ir para frente. O Venancinho me ajuda muito, mas o prefeito de Santa Rita é completamente omisso. Nunca foi a uma reunião e parece filho desalmado porque Santa Rita se emancipou de Rosário, mamou o leite da mãe velha e os filhos, rejuvenescidos pelos que levaram, não conseguem ter a dimensão do que é parceria. Ou se faz uma parceria com o espírito de metropolização ou continuaremos com problemas seríissimos, que só juntos resolveremos. Por exemplo, o destino de lixo. Precisamos de aterro sanitário conjunto. Precisamos transformar as zonas rurais dessas cidades em bairros para facilitar o transporte público. O trabalho conjunto é o principio da metropolização.

CARAS E NOMES: Recentemente foram encontrados Sítios Arqueológicos em Rosário. Quais os cuidados que a prefeitura tem para preservar esses lugares de extrema importância histórica?

BIMBA: Li em um jornal que disse que foi encontrada quinquilharia em Rosário. Foram encontradas garrafas de vinho francês e português com mais 300 anos. Hoje a Petrobras não mexe em um palmo de terra da cidade se não for com a autorização do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) , e pela superintendente do no Maranhão, doutora Kátia Bogéa, que é competentíssima e apaixonada pelo que faz. Esse levantamento é obrigatório para o licenciamento das obras. Rosário tem muita riqueza histórica, isso prova que nada cai do céu, tudo é uma construção. Se nós estamos aqui, precisamos saber de onde viemos. Tudo é um processo de evolução.

“Ricardo Murad, ele é operacional, larga agenda e é por isso que faz diferente”, diz Bimba.

CARAS E NOMES: Como o senhor analisa a volta do Ricardo Murad para a secretaria de saúde do Maranhão?

BIMBA: O Ricardo tem uma diferença porque ele é operacional. Nós precisamos de um governo onde as pessoas abandonem a agenda. Pois quando se quer fazer, não precisa anotar na agenda. O operacionalismo, a prática, o exercício diário, a vontade de fazer e a relativa autonomia que ele tem fazem com que a gente acredite no seu trabalho. Ele é incansável, é determinado e comprometido com a melhoria do atendimento de saúde do estado. Nós estamos acreditando que isso vai sair do discurso para a prática e como ele tem uma tradição de cumprir sua palavra nós vamos esperar.

Comitê deverá evitar judicialização de questões da saúde

A criação de um comitê interestadual para resolver demandas mais urgentes da área de saúde – como a internação de pacientes graves em leitos de UTI e a dispensação de medicamentos excepcionais – foi discutida e definida, na tarde desta segunda-feira (25), durante encontro no gabinete do presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, Jamil Gedeon, com os secretários de Estado, Ricardo Murad, e municipal de Saúde, Gutemberg Araújo. A reunião contou com a presença de juízes, defensores públicos, gestores municipais e estaduais de saúde.

O presidente do TJ disse que a comissão fará a interlocução entre os gestores de saúde e magistrados, conciliando administrativamente as demandas na área de saúde. “Nossos gestores de saúde estão imbuídos dos melhores propósitos e queremos evitar que sejam judicializadas as questões da saúde, fazendo com que os problemas mais urgentes sejam resolvidos com maior celeridade”, comentou Jamil Gedeon.

O comitê técnico será formado por membros do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), da Defensoria Pública (DPE), do Tribunal de Justiça (TJ), do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems) e das Secretarias de Saúde do Estado (SES) e do Município (SEMUS). “O CNJ está preocupado com a situação da saúde no Brasil e empenhado em garantir que as pessoas sejam atendidas dentro do Sistema Único de Saúde (SUS)”, explicou o juiz João Santana.

Ricardo Murad defende que o SUS foi criado para atender os brasileiros e a judicialização ocorre por diversas causas, mas na maioria dos casos o atendimento ao paciente pode ser garantido sem a necessidade de uma decisão judicial. “O que queremos é fazer cumprir a Constituição, assegurando assistência pública e de qualidade para todos, desde que seja viabilizado o orçamento”, declarou.

O gestor estadual também disse que para viabilizar o atendimento de alta complexidade foi aprovada na Comissão Intergestores Bipartite (CIB) uma Nota Técnica para direcionar os casos de urgência de neonatal para o Hospital da Criança; urgência e emergência de adulto para os hospitais Socorrão I e II; e as gestantes de alto risco para a Maternidade Marly Sarney. “Os pacientes precisam ser referenciados para as portas de entrada do sistema público, evitando demandas judiciais”, esclareceu Ricardo Murad.

Do: ma.gov.com

Secretário de Saúde visita prédio que abrigará maternidade em Ribamar

O secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, visitou as instalações do prédio construído para receber a Maternidade Municipal de São José de Ribamar, nesta segunda-feira (11). A finalidade foi avaliar a inclusão da nova unidade de saúde no plano de reorganização e regionalização do sistema público de saúde do Maranhão, que começa a ser implantado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Ao lado do secretário de Estado chefe da Casa Civil, Luis Fernando Silva; do prefeito Gil Cutrim (PSL); e da secretária municipal de Saúde, Cristina Moreira Lima, Ricardo Murad conheceu as instalações da futura maternidade, construída ao lado do Hospital Municipal.

O novo prédio custou R$ 4 milhões aos cofres da prefeitura, segundo a secretária municipal. Na maternidade há possibilidade de se realizar aproximadamente 2.800 partos anualmente, 1.900 a mais do que os ocorridos no hospital municipal, ano passado.

A maternidade contará com 40 leitos e duas recepções, sendo uma para organização de visita e outra para acolhimento de pacientes. Serão dois postos de enfermagem (com 10 enfermarias dotadas com 4 leitos cada uma), uma sala de isolamento, duas salas de parto (com capacidade para dois partos simultâneos), salas de pós-parto e setores administrativos e de apoio, como o de registro civil. Também estão previstos 10 leitos de Unidade de Cuidados Intermediários (UCIs), que já estão com os equipamentos adquiridos.

De acordo com Ricardo Murad, a futura maternidade tem plenas condições físicas para funcionar integrada à rede estadual de saúde, funcionando como pólo de atendimento, prestando serviços não somente às mães de São José de Ribamar, mas de toda a região. “É um investimento que merece prioridade, uma vez que é de interesse do Governo do Estado implantar uma rede de maternidades referenciadas em atendimento materno-infantil, para atender determinadas regiões. Com um investimento deste porte, Ribamar tem plenas condições de ser um destes pólos”, disse o secretário.

A avaliação positiva animou o prefeito Gil Cutrim, que disse ser este o começo de uma série de parcerias que já estão sendo sinalizadas entre o Município e o governo estadual para que a saúde em São José de Ribamar seja considerada modelo de atendimento dentro do estado. “A visita de hoje é o pontapé inicial para que nossa equipe de trabalho, em conjunto com a Secretaria de Saúde do Estado, formule as estratégias que trarão mais qualidade de vida e de saúde da população”, disse ele.

Luis Fernando Silva também assinalou a importância da parceria, não só para o município e cidades do interior do estado que procuram os serviços de saúde publica de Ribamar, devido à facilidade de acesso e localização geográfica, mas também para a região metropolitana de São Luis. “É preciso que se trate esta questão com uma visão mais ampla, e essa visita de hoje representa o começo destas discussões”, definiu.

Reestruturação

O plano de reorganização e regionalização do sistema público de saúde do Maranhão, que começa a ser implantado pela SES e deverá dar um novo mapa ao serviço de atendimento em saúde no estado, visa segundo o secretário Ricardo Murad garantir todo e qualquer tipo de atendimento à população, de maneira rápida, fácil e eficiente.

“É uma determinação da governadora Roseana Sarney e é desejo nosso fazer com que isso aconteça o mais breve possível. É apenas uma questão de tempo para que nós possamos definir localidades pólos, onde se possa desenvolver as ações e investimentos, garantindo o acesso integral do cidadão aos serviços de saúde”, disse Ricardo Murad.

Do: ma.gov.com

Instalação de 100 Leitos

O Secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, afirmou que conseguiu com o Ministério da Saúde uma autorização para instalar 100 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na rede pública estadual. Com a medida, haveria um equilíbrio da oferta de leitos com a demanda de pacientes no estado. O anúncio foi feito ontem durante uma entrevista concedida ao Jornal do Maranhão primeira edição, da TV Mirante. Segundo o secretário, em menos de dois anos já foram acrescentados 64 leitos de UTI no Maranhão.

Segundo Murad, somente no Hospital Juvêncio Matos haverá a oferta de 12 novos leitos de UTI pediátricos. Até o momento, o hospital dispõe de apenas 10 leitos desse tipo, o que é considerado insuficiente para atender à demanda. Outros 46 novos leitos de UTI serão destinados para o Hospital Estadual Dr. Carlos Macieira, o hospital do Ipem. “Também vamos ativar outros 12 leitos no Hospital Dutra e pretendemos, posteriormente, colocar 20 leitos no Hospital Regional de Timon e outros 20 no Hospital Regional de Coroatá. Dessa forma, vamos equilibrar a demanda”, destacou.

De acordo com o secretário, o maior problema da falta de leitos no estado se refere às especialidades, pediátrica e adulta. “O problema de UTIs neonatais foi resolvido. Por isso que, a curto prazo, conseguimos a autorização do Ministério para a ativação de novos 100 leitos pediátricos e adultos”, completou.

Déficit – Em abril do ano passado, o Promotor de Justiça Herbeth Figueiredo, titular da Promotoria Especializada em Saúde, denunciou, em entrevista coletiva realizada na sede da promotoria, que os hospitais das redes pública e privada de São Luís apresentaram um déficit de 444 leitos de UTI. De acordo com parecer do Ministério Público, 8.206 pacientes do Hospital Municipal Djalma Marques, o Socorrão I, morreram de 2000 a 2004 por falta de leitos hospitalares.

Na época, o promotor havia afirmado que era necessário que fossem criados em caráter emergencial pelo menos 80 novos leitos de UTI na capital. Ao todo, segundo o levantamento de 2010, São Luís dispõe de 4.796 leitos hospitalares em unidades de saúde da rede pública, e pelo menos 2.204 leitos hospitalares na rede privada, o que totaliza uma média de 7 mil leitos na capital (algo considerado suficiente para atender à demanda). No entanto, a Portaria n°1101/GM, do Ministério da Saúde, diz que para cada mil habitantes, é necessário que uma cidade disponibilize três leitos hospitalares, independentemente de ser público ou particular. Destes, de 4% a 10% devem, obrigatoriamente, ser destinados a UTIs, o que não ocorre no município.

Nota de pesar

Durante a entrevista, Ricardo Murad lamentou a morte do bebê Hanna Ester Aguiar, de apenas 2 meses, que ficou 10 dias à espera de um leito de UTI nos hospitais públicos de São Luís. “Não é possível que se transfira para a família, a responsabilidade de uma internação em leito de UTI quando a criança está em um hospital público. Quem deve ter essa responsabilidade é o gestor, ele tem essa obrigação”, criticou.

Por: William Santos

Governadora lança mutirão de combate a dengue

A governadora Roseana Sarney e o secretário de Estado da Saúde (SES), Ricardo Murad, lançaram nesta segunda-feira  (21), às 10h, no Palácio Henrique de La Rocque, o mutirão de ações emergenciais para impedir uma epidemia de dengue em São Luís.

O Governo do Estado em parceria com a Prefeitura Municipal executará os trabalhos do mutirão nos próximos 90 dias. Roseana Sarney entregou aos agentes de endemia  kits de combate ao mosquisto e kits de medicamentos que serão levados para as cidades do estado atingidas pelas enchentes como, Pedreiras, Trizidela do Vale e Bacabal.

De acordo com o Secretário da SES, Ricardo Murad, na parceria do Estado com a prefeitura de São Luís, 548 agentes de saúde foram capacitados para trabalharam nas residências o combate ao mosquito da dengue. “Os agentes vão trabalhar em ritmo integral. Temos uma meta de visitação que é de pelo menos 35 casas por dia pra cada agente, o que equivale 20 mil imóveis visitados diariamente.

Sobre a mobilização do Governo do Estado, a governadora falou da importância das prefeituras contribuirem com o mutirão. “O Estado é parceiro de todas as prefeituras do Maranhão no combate à Dengue e contribuir na tranqüilidade da população. Vamos acabar com a dengue”, declarou Roseana.

O mutirão será realizado com ações rotineiras de visitas domiciliares com inspeções prediais, eliminação e tratamento de criadouros pelas instituições, limpeza pública de terrenos baldios e recolhimento de materiais de grande porte não utilizáveis. Também serão desenvolvidas ações direcionadas em bairros e adjacências da Cidade Operária, Vinhais, Cidade Olímpica, Centro, Anjo da Guarda, Cohatrac, Cohab, Coheb Sacavém, Quebra Pote e Maracanã,  áreas de maior infestação de larvas de mosquito Aedes Aegypti.

Washington Luiz Oliveira, vice-governador do estado, falou sobre a importância do trabalhos desenvolvido pelo Estado no combate a doença. “Tem que ser uma campanha permanente. Estamos fazendo uma mobilização grandiosa, que trará como resultado positivo, o afastamento do risco de epidemia”.

Sob a coordenação da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o mutirão mobilizará equipes do Exército, do Corpo de Bombeiros e 558 agentes de endemias. Serão 20 carros fumacê para a borrifação nos bairros e 10 carros de som para divulgar mensagens de alerta a população sobre a necessidade da participação de todos no combate à dengue. Todos os agentes receberão mochilas de lona fornecidas pela SES com material para o trabalho de campo, e será distribuído material informativo sobre ações necessárias para evitar focos do mosquito.

Para garantir que todos os agentes municipais de endemia participassem do mutirão, a SES assegurou o pagamento de uma ajuda de custo mensal de R$ 150,00 para cada agente, por três meses. Esse acordo com o sindicato da categoria a medida foi necessária porque eles estão em negociação trabalhista com o município e, por decisão judicial, somente 50% deles estavam fazendo as visitas domiciliares que são vitais para a eliminação dos focos do mosquito Aedes aegypti.

Levantamento

De acordo com os registros oficiais da SES, até o início deste mês, foram notificados no Maranhão 2.797 casos de dengue, correspondente a um aumento de 370% em relação ao mesmo período do ano de 2010 – quando foram notificados 595 casos. Na capital, no mesmo período foram registrados 387 casos, o que representa um aumento de 614,8% em relação ao ano passado, quando foram registrados 38 casos.

O início precoce do período chuvoso em 2011 contribuiu para o aumento do número de casos, já que em 2010 as chuvas começaram em abril. O aumento da proliferação do mosquito transmissor acontece nos primeiros meses do ano, período considerado crítico, em decorrência do aumento de coleções hídricas (criadouros) proporcionados pelas chuvas.

Do: ma.gov.com

Ricardo Murad visita UPAs na capital

O secretário Ricardo Murad criticou neste sábado, durante visita Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) na capital, o baixo repasse de recursos por parte Governo Federal para a saúde no Maranhão. “Temos de rediscutir essa questão. A União financia 70% da saúde pública no Piauí. No Maranhão, apenas 22%. É inadmissível uma coisa dessa”, disse.

Ao lado de Valéria Macedo (esq.) e gestores, Ricardo visita UPA Itaqui-Bacanga

Ricardo contou que o Maranhão gasta hoje R$ 320 milhões por ano no atendimento à população e o repasse da União era de apenas R$ 22 milhões. No ano passado esse valor aumentou para R$ 37 milhões, mas ainda é muito pequeno.

De acordo com o secretário, o Governo do Estado gasta R$ 4 milhões para construir uma UPA – R$ 2 milhões são da União. No entanto, para o funcionamento da unidade é necessário R$ 1 milhão/mês e o Governo Federal participa com apenas R$ 200 mil.

Ricardo contou que essa distorção acontece porque o Ministério da Saúde exigia do Estado uma rede pública de saúde, reforçada agora com a construção de 72 hospitais e quatro UPAs somente na capital.

“Não se pode jogar no colo de apenas uma pessoa toda a responsabilidade pelo atendimento de saúde. É preciso uma gestão compartilhada entre a União, Estado e municípios. Teremos de refinanciar o sistema. Nunca se investiu tanto no setor quanto nesse governo Roseana. A saúde não funciona se não estivermos todos integrados”, declarou.

Na companhia da deputada Valéria Macedo (PDT), jornalistas e pessoas da comunidade, o secretário visitou hoje as UPAs do Itaqui-Bacanga, Cidade Operária, Parque Vitória e Vinhais. A primeira funciona há sete meses e as duas últimas estão praticamente prontas. A da Cidade Operária faltam serviços de acabamento.

Ricardo afirmou que dos 72 hospitais, cerca de 20 estão prontos e com parte dos equipamentos adquiridos. Uma das dificuldades é que os municípios não entregaram a infraestrutura – terreno com água e luz, principalmente – para a realização dos serviços por parte das construtoras.

Ricardo, Valéria e diretora Kátia Lobão durante visita a UPA Cidade Operária

O secretário disse que já poderia inaugurar as UPAs do Vinhais, Parque Vitória e alguns hospitais, mas só quer fazer quando esta questão junto ao Governo Federal for resolvida.

“O problema não é construir a obra. É sensibilizar as três esferas de governo. A presidente Dilma já mostrou interesse em vir a São Luís inaugurar a UPA, mas primeiro temos de rediscutir essa questão do financiamento com o Governo Federal”, concluiu Ricardo.

Do: blogdodec io.com.br

Ricardo Murad faz hoje inspeção em unidades de saúde

Ricardo Murad: em ação na Saúde

O secretário de Saúde Ricardo Murad visita na manhã deste sábado algumas unidades de saúde da capital maranhense.

Ele vai à Unidade de Pronto Atendimento do Anjo da Guarda, já em funcionamento, e às UPAs do Parque Vitória, Cidade Operária e Vinhais, cujas obras estão em andamento.

O secretário, que tomou posse na última segunda-feira, quer conhecer a realidade das unidades de saúde para definir as ações da pasta para o setor.

No Anjo da Guarda, ele vai avaliar atendimentos, realização de procedimentos médicos e qualidade das estruturas do hospital; nas demais UPAs ele ouvirá de engenheiros e responsáveis sobre prazos, andamento das obras e datas para entrega.

Nas próximas semanas, o secretário de Saúde deve realizar visitas também as unidades de saúde que estão sendo construídas no interior maranhense.

Em todas as visitas, ele pede, via Facebook,  a presença da imprensa, exatamente para dar transparência às ações…

Do: marcoaureliodeca.com

Ricardo Murad já define estratégias para a Saúde…

Murad será novamente secretário de Saúde.

O deputado Ricardo Murad (PMDB) já conversa com futuros assessores da Secretaria de Saúde, pasta que assume às 10 horas de segunda-feira. Ele quer reafirmar as estratégias do setor para 2011, embora tenham sido as mesmas praticamente definidas por ele próprio, em 2010.

O parlamentar toma posse às 10 horas de segunda-feira e começa a trabalhar imediatamente.

Na pauta, a inauguração de boa parte dos 74 hospitais de urgência e emergência espalhados pelo Maranhão, a maioria já em fase de acabamento. O projeto é todo concebido pelo próprio Murad, e vinha sendo tocado com precisão pelo secretáro José Márcio, aliado fiel.

A própria governadora Roseana Sarney nomeará Ricardo murad, em ato reservado no Palácio dos Leões. Em seguida, a posse será na sede da secretaria. Em ato solene, político e público…

Do: marcoaureliodeca.com

Ricardo Murad retira-se da disputa

Ricardo Murad retira-se da disputa pela presidência da AL

SÃO LUÍS – O deputado estadual Ricardo Murad (PMDB) retirou, no início da tarde desta segunda-feira (31), a sua candidatura à presidência da Assembléia Legislativa do Maranhão. A renúncia foi feita após deputados do Bloco União Democrática – o “Bloquinho” da base governista -, com 17 integrantes, defenderem a candidatura do decano da Assembléia, deputado Arnaldo Melo (PMDB), tendo o apoio de deputados estaduais da oposição, o que quebrou o consenso entre os governistas.

A eleição de Murad estava praticamente certa até o fim de semana passada. De sexta-feira (28) para hoje, o cenário mudou. Primeiro foi o anúncio da candidatura de Manoel Ribeiro (PTB) para a presidência. Hoje, a união do “Bloquinho” com a oposição, defendendo o nome do deputado Arnaldo Melo, que, em uma disputa com Murad, acabaria ganhando pela maioria dos votos dos dois blocos unidos e por ser o decano, em caso de empate.

De acordo com Murad, em entrevista no Palácio dos Leões, a decisão foi a mais acertada, em nome da governabilidade. “Minha candidatura nasceu com o compromisso de união da base do governo e do consenso na Assembléia. Se não há condições deste consenso, então anuncio, oficialmente, minha retirada”, disse o deputado.

Quem retirou o nome da composição da mesa-diretora, também, foi o deputado estadual Carlos Filho (PV), que estava certo na 1ª Secretaria como indicação do seu partido. Um dos desentendimentos entre o Bloco do Governo e o “Bloquinho” foi, justamente, o nome de Carlos Filho para o cargo, de interesse, também, do colega de partido Edilázio Júnior.

A eleição para a presidência da Assembléia Legislativa será realizada nesta terça-feira (1º), por volta das 11h30, após a posse dos deputados eleitos em 2010.

Do: imirante.globo.com