Maioria aposta que governo Dilma será melhor ou igual ao de Lula

Mais de 80% estão otimistas com futuro governo

O futuro governo de Dilma Rousseff será melhor ou igual ao do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para 83% dos entrevistados da pesquisa Datafolha, divulgada nesta quarta-feira (22). Lula, por usa vez, entrega a faixa para a petista, em 1º de janeiro, com índice de aprovação recorde, que também passa dos 80%.

Segundo o instituto, 53% afirmaram que a gestão da petista será semelhante à de seu padrinho político, enquanto 30% disseram que ela terá um desempenho superior. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Dilma se sai melhor no Nordeste, principalmente em Pernambuco, onde tem 78%, e no Ceará, com 79%. Em Minas Gerais, a presidente eleita também alcançou um alto índice de otimismo: 80%. No Sul, o porcentual dos que acreditam na futura gestão da petista cai para 68%.

A pesquisa também perguntou aos eleitores se eles acham que Dilma vai cumprir suas promessas de campanha. Para a maioria (59%), a petista cumprirá parte delas. Já 31% disseram que a presidente eleita vai honrar com tudo o que prometeu e apenas 6% afirmaram que ela não cumprirá nada.

Pesquisa realizada pelo Ibope a pedido da CNI (Confederação Nacional da Indústria), e divulgada no último dia 16, mostra que 62% dos brasileiros acham que a gestão de Dilma será “ótima” ou “boa”. Para 19%, o governo da petista será regular e outros 9% acham que será “ruim” ou “péssimo”.

Para 58% da população, de acordo com o levantamento do Ibope, o governo de Dilma será igual ao de Lula. Para 18% será melhor e para 14%, pior.

A pesquisa Datafolha ouviu 11.281 pessoas em todo o país, de 17 a 19 de novembro.

Do: meionorte.com

Gil Cutrim agora é 15

Senador João Alberto assina ficha de Gil Cutrim no PMDB. Foto: Biné Morais

Em reunião extraordinária realizada nesta terça-feira, membros da Executiva Estadual do PMDB filiaram aos quadros do partido o vice-prefeito do município de São José de Ribamar, Gil Cutrim. O vice-prefeito era filiado ao PSL e vai assumir o comando do município com a ida do atual prefeito Luis Fernando Silva (DEM) para a Casa Civil.

A cerimônia aconteceu na sede do Diretório Estadual, no Renascença, e contou com as participações do vice-governador e senador eleito, João Alberto de Souza; do presidente em exercício da legenda, Remi Ribeiro; do presidente do diretório municipal do partido em Ribamar, ex-vereador Reinaldo Ribeiro; dos vereadores ribamarenses Beto das Vilas (PMDB – presidente da Câmara Municipal), Henrique Queen (PDT), Marlene Monroe (PTB), Lindoso (PT do B) e Negão (PMDB); além do presidente do diretório municipal do PSL de Ribamar, Ribamar Rodrigues.

Gil Cutrim deixa o PSL de forma amistosa e com todo o apoio do diretório municipal ribamarense. “O PSL, juntamente com o PMDB e dezenas de outros partidos, fazem parte de um grupo político que apóia a governadora Roseana Sarney, o prefeito Luis Fernando e o Gil Cutrim. Por este motivo, nosso diretório municipal, assim como o estadual, entendeu as motivações do vice-prefeito e o apoiou totalmente”, explicou Ribamar Rodrigues.

Presidente licenciado do diretório estadual, João Alberto avaliou a filiação como uma das grandes conquistas que o partido obteve este ano. “A filiação de Gil Cutrim representa a renovação de nossos quadros. O PMDB é um partido estruturado que, com o apoio de lideranças jovens, pretende crescer muito mais no Estado”, explicou.

Gil Cutrim, João Alberto, Remi Ribeiro e peemedebistas de São Luís e São José de Ribamar

Para Remi Ribeiro, a filiação do vice-prefeito ribamarense configura como um importante passo para que, a partir do próximo ano, o PMDB cresça mais em São José de Ribamar e em vários municípios maranhenses. “Apesar de jovem, o Gil Cutrim já demonstrou, como vice-prefeito, que é um político inteligente, compromissado e que tem muito a contribuir com a política do Maranhão”.

Ao agradecer a recepção, Gil Cutrim disse ter certeza de que, a partir de 2011, o grupo político do qual ele faz parte continuará fazendo muito por São José de Ribamar e pelo Maranhão. “O PMDB, assim como o PSL, é um partido de políticos competentes e compromissados. Sinto-me honrado em ingressar, a partir deste momento, nas fileiras peemedebistas. É posso garantir que honrarei este convite e continuarei trabalhando muito pelo povo de São José de Ribamar”, assegurou.

Do: Blog do Décio

Entretenimento

Sarahyba:”No dia de visita, Dado deixou filho esperando em casa”

AUSENTEViviane Sarahyba e o filho

A ex-mulher de Dado Dolabella, Viviane Sarahyba, disse ao EGO que desde o dia 2 de dezembro o ator ganhou na justiça o direito de visitar o filho João Valentim, 1 ano. Porém, segundo ela, além de não ter ido ver o menino em seu aniversário, dia 10, o ator também deixou João esperando em casa na quarta-feira, 15, passada, quando era o dia dele ficar com o menino.

“Fiz uma foto do João pronto, esperando por ele em casa, e mandei por email para o Dado. Ele gosta de se fazer de vítima e o acordo de poder ver o João por algumas horas em dias determinados pela justiça foi assinado por ele também”, disse Viviane.

Relacionamento conturbado

Dado e Viviane se casaram em 24 de setembro de 2009. Onze meses após o casamento, a publicitária entrou com um pedido de separação de corpos e com uma medida cautelar contra o marido. Dado teria agredido Viviane durante as brigas do casal. Segundo amigos, ele chegou a jogar a mulher na piscina na casa onde os dois moraram juntos. O processo de separação corre na 1ª Vara de Família do Rio de Janeiro.

No domingo, 7 de novembro, Viviane deu queixa de agressão contra o ex-marido. Dado se defendeu e explicou que não havia agredido a ex-mulher e sim, que a teria segurado pelo braço, impedindo-a de levar João Valentim embora quando o menino foi visitá-lo.

Do: meionorte.com

Descoberta de gás no MA vira alvo de disputa

Por Ricardo Balthazar, da Folha de S. Paulo:

São Paulo – Um empresário baiano cujos negócios se estendem de São Paulo ao Amazonas começou a se movimentar para abocanhar um pedaço dos lucros que o bilionário Eike Batista espera obter com as reservas de gás natural que encontrou no Maranhão.

Em agosto, com base em estimativas muito preliminares, Eike sugeriu que os depósitos do Maranhão serão suficientes para assegurar no futuro uma produção diária de 15 milhões de metros cúbicos de gás, o equivalente a metade do que o Brasil importa atualmente da Bolívia.

Empresas de Eike Batista encontraram gás no MA

O plano de Eike é usar o gás para alimentar um complexo de usinas termelétricas que ele mesmo pretende construir e vender a energia que elas gerarem para grandes indústrias em regiões mais desenvolvidas do país.

Mas o empresário Carlos Suarez, cujos interesses incluem participações nas concessionárias do serviço de distribuição de gás canalizado no Maranhão e em outros sete Estados, tem planos diferentes para o gás de Eike.

Ele quer usá-lo para turbinar o próprio negócio, construindo um gasoduto que levaria o gás de Eike para grandes empresas que já estão instaladas no Maranhão e atraindo para a região investimentos e novos clientes.

Gasmar

Batizada como Gasmar, a empresa que detém a concessão da distribuição de gás no Maranhão foi criada em 2002. Ela só existe no papel. Como ainda não há produção local, a Gasmar não tem gás para distribuir nem motivo para tirar da prancheta o gasoduto que quer construir.

Controlada pelo governo do Estado, a Gasmar tem como sócios uma empresa de Suarez, a Termogás, e a Gaspetro, subsidiária da Petrobras que também é sócia do empresário baiano em outras cinco companhias estaduais.

Suarez já falou do assunto com a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), e nas próximas semanas a Gasmar contratará uma consultoria para propor alternativas para a exploração das reservas de gás.

“Se a existência desses depósitos for confirmada, precisamos garantir que essa riqueza gere benefícios para o Maranhão”, disse o secretário de Indústria e Comércio do Maranhão, Maurício Macedo. “Podemos desenvolver nossa economia e até exportar gás para outros Estados.”

A exploração das reservas e a construção do complexo termelétrico planejado por Eike poderão gerar milhares de empregos. Mas as usinas empregarão pouca gente quando as obras terminarem e tendem a contribuir pouco com os cofres estaduais.

Como a cobrança do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) que incide sobre a energia elétrica é feita nos Estados consumidores, o Maranhão provavelmente ficaria com pouco além dos royalties pagos por Eike pela exploração do gás.

Se o gás for usado para tirar a Gasmar do papel, o Estado poderá ampliar sua arrecadação com as receitas do serviço de distribuição de gás e a atividade das empresas atraídas pelo novo gasoduto.

Tudo vai depender da quantidade de gás existente nas reservas que as empresas de Eike pretendem explorar, hoje uma incógnita. “Se tiver mesmo tudo isso que estão dizendo, haverá gás mais do que suficiente para todo mundo”, disse José Carlos Garcez, diretor da Termogás.

Procuradas pela Folha, as empresas de Eike que estão explorando as reservas do Maranhão, a OGX e a MPX, informaram que estudam outros projetos além do complexo termelétrico, mas não quiseram discutir detalhes.

Potencial de reserva é uma incógnita

Ninguém tem até agora uma ideia precisa do tamanho das reservas de gás encontradas pelas empresas de Eike Batista no Maranhão. A estimativa apresentada pelo empresário em agosto foi baseada em indícios colhidos após a perfuração de um único poço e estudos preliminares feitos por geólogos em outras áreas com características físicas semelhantes.

Eike tem o direito de explorar sete blocos no interior do Maranhão, com área total de 21 mil quilômetros quadrados. Dois poços foram perfurados até agora e um terceiro será aberto em breve. Outros 12 poços estão programados para os próximos dois anos.Somente depois que as pesquisas em andamento forem concluídas é que será possível ter noção clara da quantidade de gás existente na região e da viabilidade comercial de sua exploração.

Eike tem até 2014 para analisar as reservas, de acordo com as regras do setor, mas resolveu antecipar suas conclusões em agosto, quando declarou ter achado “meia Bolívia” no Maranhão. As ações de suas empresas dispararam com a notícia.

A MPX calcula que precisará de 8 milhões de metros cúbicos de gás por dia para alimentar o complexo termelétrico que quer construir. Segundo a Termogás, indústrias instaladas no Estado poderiam consumir mais 2 milhões de metros cúbicos se decidissem substituir outros combustíveis pelo gás.

Do: Blog do Décio

Loira, inteligente, linda e chique!!!

Loira, inteligente, linda e chique, assim definimos a primeira dama do município de Gonçalves Dias-MA, formada em Letras e estudante de Odontologia Suane Maria.

A revista Caras e Nomes clicou-a em uma entrevista descontraída, com Rafaela Lemos, ela conta detalhes sobre a sua vida.

Em busca de um sonho

Nascida na cidade de Tuntum-Ma, Suane Maria Barros é esposa do engenheiro e prefeito de Gonçalves Dias-MA, Vadilson Fernandes Dias e mãe de dois lindos filhos, Lorena 13 anos e Gabriel 15 anos.

Primeira Dama

Suane trabalhou nos primeiros quatro anos com projetos na ação social e com as ações de sua pasta abriu a casa do idoso, a casa da criança, o CRAS, o PETI e no segundo mandato, teve que ir para São Luis para estudar e em seu lugar foi empossada a sua prima Edna que está dando conta do recado na assistência social, continuando o trabalho que ela começou. “Foi muito gratificante para mim trabalhar como assistente social em Gonçalves Dias-Ma, mas continuo fazendo o meu lado social, acompanhando as famílias carentes, sempre dando o meu apoio como primeira dama”.

A primeira vista.

Suane e Vadilson se conheceram em Gonçalves Dias-Ma , ela ia fazer ainda  quinze anos, namoraram por oito longos anos, noivaram por mais um ano e se casaram em São Luis. “Ao todo eu acho que são 21 anos de união” diz ela.

Um sonho a dois

Ela que tem muito carinho pelas pessoas, trabalha com amor e dentro do seu limite, se divide entre ajudar seu esposo e concluir o seu sonho. “Meu sonho é terminar meu curso de Odonto, montar meu consultório em Gonçalves Dias-Ma e o sonho dele é ser deputado e eu sonho também em ser prefeita”.

Com visões futuras, o casal deixou São Luis-Ma para fazer política em Gonçalves Dias-Ma, ele foi eleito prefeito e está no segundo mandato.

Grande parte do meu sucesso vem do apoio da minha esposa, ela é extraordinária e sem ela seria muito difícil suportar essa rotina, esse dia a dia meu como político comenta Vadilson Dias.

Benção de Pai

Formada em letras e estudante de Odontologia, Suane ri ao se lembrar que seu pai não queria muito o namoro dela com Vadilson. “Só depois que casamos ele abençoou nosso relacionamento”. Retrata. Suane é uma pessoa simples, de fácil acesso e acima de tudo, uma pessoa humilde, carinhosa e dedicada em tudo que faz. Caminhando junto com Vadilson no oficio de administrar, ela enaltece a labuta do gestor e comenta as glórias do companheiro.

Ele é uma pessoa extremamente correta, ele é muito sincero, muito caprichoso, é um prefeito muito atuante e dedicado em tudo que faz. Ele é muito romântico, carinhoso, amoroso com os filhos e como marido ele me completa”.


Com a Palavra Kalil Trabulsi

“Eu não criei nenhuma novidade apenas

transformei a FAMEM em uma empresa”

Filho de Bacabal, bacharel em administração de empresa Kalil Trabulsi é o oitavo filho de Alberto e Florípedes. Pai de três lindos filhos, Rhana, Rhamid e Kalil Filho, ele enveredou por vários caminhos e em todos achou suporte para se tornar a pessoa importante que se tornou. Cheio de amigos, ele é ousado, brincalhão, adora música, toca vários instrumentos e hoje é considerado como um durão, apesar de se dizer apenas cumpridor de seu dever. Kalil recebeu a equipe da revista CARAS E NOMES na festa de confraternização da FAMEM – Federação dos Municípios do Estado do Maranhão, órgão que coordena, ele abriu o leque de respostas. Desde família, amigos, políticos, soluções, profissões, diversões, entre outras coisas, ele foi autêntico e consciente e mostrou que está preparado para assumir qualquer cargo que o destino ou mesmo o povo lhe der de presente. Curta essa entrevista e tire sua conclusão.

CN São 25 anos de FAMEM, como o senhor analisa isso?

Kalil – Pra mim que não sou prefeito, faço parte da diretoria técnica, considero muito positivo. Fui convidado por Dr. Lisboa pra fazer um trabalho onde tivemos uma grande dificuldade porque precisávamos dar um choque de gestão, ou seja a FAMEM estava com uma estrutura, eu diria como administrador que sou, aquém da sua capacidade.

CN Quando o senhor assumiu, o que mais a entidade precisava?

Kalil – Estava precisando de uma grande estruturação na área tributária e fiscal. Os parcelamentos que fizemos junto ao ISS e todos os órgãos federais possibilitaram a FAMEM a ser chamada hoje de NOVA FAMEM, nos vídeos institucionais que são mostrados com a palavra dos prefeitos, e outras ações, não mostram as dificuldades dos técnicos, mas estamos aí pra isso, pra reestruturar.

CN Como o senhor encontrou fisicamente a FAMEM?

Kalil – Eu diria que quando chegamos na FAMEM, os armários e os poucos móveis que tinha, eram em cima de tijolos, não tinha sequer, um computador, e hoje nós temos um parque tecnológico, que eu digo sem medo de errar, que é um dos melhores hoje, em termo de empresa.

CN Quem a FAMEM atende e qual o seu verdadeiro papel?

Kalil – A FAMEM atente todos os municípios do Maranhão e ela vem cumprindo o seu papel que é trazer e fazer de forma grátis aos municípios, a prestação de serviços, então, o Dr. Lisboa, não esteve em nenhum momento, parado diante do órgão.

CN Quais as determinações de Dr. Lisboa como presidente?

Kalil – Recebi a determinação de conduzir a FAMEM com todo empenho possível. E isso eu estou fazendo.

CN O senhor tem uma trajetória de vida muito bonita, passou por vários estágios até se firmar como um grande administrador. Conte-nos?

Kalil – Eu fui superintendente do Banco do Estado do Maranhão, diretor da BEM Vigilância e trabalhei por 25 anos nas instituições do Banco, tive um período no Bradesco e comecei a minha vida ainda muito novo no banco Itaú, com apenas 14 anos como auxiliar de serviços gerais, na limpeza, e chegar à diretoria do maior banco do estado, foi muito importante. Daí montei uma empresa de consultoria e já estava trabalhando para o Dr. Lisboa n’uma de suas empresas e com o excelente resultado, ele me convidou para fazer esse trabalho na FAMEM.

CN Como o senhor avalia a sua administração?

Kalil – Existe uma coisa na administração chamada ponto de equilíbrio e isso se pode levar também pra vida pessoal, a FAMEM atingiu esse ponto e hoje, qualquer prefeito que assumir, não terá a dificuldade que ti vemos, ou seja, a FAMEM começa a crescer e infelizmente o mandato é apenas de dois anos e o DR. Lisboa não quer a reeleição, porque na sua campanha foi uma das pregações, o fim da reeleição.

CN O senhor não acha que dois anos seja um bom tempo?

Kalil – Dois anos são suficientes sim, e passar o bastão para outro prefeito é interessante para que cada um mostre sua marca, para que cada um traduza a sua vontade e o seu amor pelo municipalismo e nesse sentido eu estou muito feliz pela passagem desses 25 anos e por entender que nós, os técnicos, fizemos esse trabalho.

CN E a FAMEM politicamente?

Kalil – Essa é uma esfera que eu não entro porque sou limitado a minha área técnica. Essa área política, vai ser amplamente discuti da pelo seu presidente atual. O Dr. Lisboa, como todo mundo sabe, é um homem de consenso e como ele bem disse no seu discurso, foi um sonho realizado, sonho esse, que até eu mesmo me surpreendi com o resultado, e eu acho que não só na FAMEM, mas no ambiente familiar, nas discussões das gestões municipais, o consenso em torno de nomes é a melhor coisa, a matemática nos ensina isso, a soma é melhor que a divisão.

CN Qual a posição do Dr. Lisboa nesse processo de sucessão?

Kalil – Na oportunidade, o Dr. Lisboa deverá conduzir o processo como presidente da FAMEM e aqueles colegas prefeitos do Dr. Lisboa deverão conversar com ele pois como eu já disse, ele não será candidato, não fará parte de nenhuma chapa pois acha que já cumpriu o seu papel.

CN E quanto ao registro de chapas?

Kalil – Em primeira mão, posso dizer que as chapas podem ser registradas até o quinto dia útil de janeiro e a eleição pode ser realizada até o dia 18 de fevereiro e nós ainda vamos fazer todo o protocolo, os procedimentos para a eleição e depois a divulgação dos nomes nos grandes órgãos de comunicação.

CN Foi feita uma grande festa, dezenas de prefeitos presentes. Isso, superou sua expectativa?

Kalil – Eu tenho dois anos de FAMEM e conversando com alguns colegas que já são mais antigos com dez, doze, quinze anos de empresa, eles jamais viram uma festa tão grande quanto esta, trazendo um público tão grande e a presença de mais de cem prefeitos, foi sem dúvida a melhor festa.

CN O que mais o senhor destaca na gestão do Dr. Lisboa como Presidente da FAMEM?

Kalil – Uma das coisas mais importantes na gestão do Dr. Lisboa foi à participação dos seus diretores, pela primeira vez, todos assumiram o cargo de presidente.

CN E tecnicamente?

Kalil – Tecnicamente, sem sombras de dúvidas, a criação do site gratuitamente para todos os municípios. Tem muitas empresas que cobram de hum mil a hum mil e quinhentos reais para fazer e dar manutenção de um site, hoje não, a FAMEM criou um site poderosíssimo.

CN E como funciona?

Kalil – Por exemplo, um prefeito nos procura, nós temos um técnico que além de criar o seu site grátis, ele dá treinamento para o município e aí você vai ter um site que vai ser alimentado e vai cair no site da FAMEM e de lá será distribuído para o mundo inteiro, é fantástico.

CN O senhor é amado por uns, odiado e criticado por outros e ficou estereotipado como o durão da FAMEM. Isso lhe incomoda?

Kalil – Existem as profissões e muitas exigem isso. O que aconteceu na FAMEM foi o choque de gestão e a mudança de cultura que eu implantei. Eu sou administrador nato, é tanto que fiz o curso de direito até o oitavo período e deixei quando percebi que queria ficar na administração, fazer minha especialização, fazer meu mestrado. Eu, como sou disciplinado, tive uma experiência fantástica fora do país trabalhando pelo banco, tenho um curso na USP em administração, curso esse que me deu um certo conhecimento para que eu desenvolvesse uma série de trabalhos, então é isso, ninguém agrada a todo mundo e esse choque de gestão, não foi bem entendido por alguns órgãos de comunicação.

CN Diante dessas intempéries, como o senhor se sente?

Kalil – Eu me sinto tranquilo. Como administrador eu tinha que cumprir um papel, tive que fazer reduções e isso acontece com todas as empresas e como prova maior, taí os Estados Unidos enxugando a sua máquina administrativa, então, eu não criei nenhuma novidade, apenas transformei a FAMEM em uma empresa, ela é uma pessoa jurídica de direito privado, então ela precisava se enquadrar tributariamente de uma forma oficial e o resultado está aí.

CN Entre um dos feitos, o senhor conseguiu em uma festa, promover o encontro do atual com todos os ex-presidentes da FAMEM , como isso foi possível?

Kalil – Na realidade, nós trouxemos todos, aqueles que já faleceram foram devidamente representados, por familiares.

CN Existe alguma diferença entre o Kalil de Bacabal e o Kalil que hoje é Diretor da FAMEM?

Kalil – Eu como descendente de libanês, sou um pouco fechado e quem não me conhece pode pensar diferente, mas falando da minha infância em Bacabal, eu fui um privilegiado, naquele tempo não tinha drogas, tinha uma grande quantidade de amigos que sempre tenho contato e que sempre estou me encontrando. O destino, ele me trouxe algumas situações, que pra mim chegaram um pouco mais cedo, a primeira foi a morte do senhor Alberto Trabulsi, meu pai, quando eu tinha apenas 16 anos e eu era o filho mais novo de dez irmãos. Eu já trabalhava e a minha mãe, dona Florípedes, era uma pessoa do lar e eu tinha (tenho ainda) uma irmã portadora de necessidades especiais e eu precisava sobreviver e assumir responsabilidades trabalhei com mais afinco, comecei a crescer, estudei, conheci pessoas boas, me formei, fiz minhas especializações, muitas vezes ia dormir meia noite e acordava seis horas da manhã para tocar a minha vida.

CN Entre algumas desventuras está o fatal acidente que vitimou sua esposa, como é o Kalil depois disso?

Kalil – O acidente que tirou a vida da minha esposa é algo insuperável, eu fiquei com três filhos e há quatro anos fiquei com essa missão pois me duplico e hoje sou pai e mãe e não quis constituir uma nova família .

CN E os seus filhos?

Kalil -A Rhana, o Rhamid e o Kalil Filho estão muito bem, faço de tudo que posso para fazê-los felizes.

CN Defina o Kalil chefe de família?

Kalil – Eu sou muito dedicado naquilo que faço, muitas vezes tenho que tomar decisões duras e em nenhuma dessas decisões eu deixei de consultar, primeiro a Deus e depois os livros e nunca dormi com a minha consciência pesada.

CN Agora defina só o Kalil?

Kalil – Eu me defino como uma pessoa que tem um caráter. Eu nasci com esse caráter e é esse caráter que me arremete a ser amigo dos meus amigos. Eu sou fiel ao meu trabalho, eu sou fiel aos meus amigos, eu sou fiel a quem eu trabalho, nada me compra, dinheiro nenhum faz eu mudar aquele meu padrão, aquela parceria, eu gosto de ser assim.

CN Sabemos do seu amor por Bacabal, da sua vontade política. Agora mesmo, quebrando um protocolo, sua cidade elegeu dois deputados federais. Faça uma análise

disso?

Kalil – Eu acho que Bacabal está passando por uma fase, uma fase que requer avaliação, avaliação de vários problemas, não só de responsabilidade do prefeito, mas de todos nós, responsabilidade do repórter, do jornalista, do poeta, do escritor dos políticos, e eu procuro fazer a minha parte, estou sempre conversando com meus amigos e sempre em busca do meu grande sonho.

“Eu tenho um sonho e a minha cidade sabe qual é, e espero que um dia possa concretizá-lo, pois tudo tem seu tempo e hoje eu até partilho com as dificuldades do povo de Bacabal, porque é muito fácil criticar”.

CN Qual é o seu sonho?

Kalil – Eu tenho um sonho, um sonho de criança e a minha cidade sabe qual é, e espero que um dia possa concretizá-lo, pois tudo tem seu tempo e hoje eu até partilho com as dificuldades do povo de Bacabal, porque é muito fácil criticar, então, eu que estou próximo ao prefeito Dr. Lisboa, eu sei o quanto é difícil ser prefeito hoje, as leis são duras, os repasses diminuíram e isso impede, às vezes, de um gestor público realizar seus sonhos.

CN E para os jovens de Bacabal, que mensagem o senhor mandaria?

Kalil – Gostaria que eles avaliassem cada político. Algumas cidades do porte de Bacabal no sul do país, elas tem uma consciência crítica do processo eleitoral, maior. Nós não podemos mais votar no candidato porque ele é pobre demais ou porque ele é rico demais, aí teremos o erro do passado que é o voto de protesto. Espero, por não ter facção política, que os novos que se elegeram, desçam do pedestal e reconheçam os amigos que o ajudaram, pois a política é um processo de habilidade, e já dizia Maquiavel “a política é um choque de interesse entre os indivíduos”, e eu acho isso muito bonito e espero que esses bacabalenses mais novos que se elegeram, saibam dar um pouco de valor a essa população sofrida, possam entender que o mundo não é como se pensa.

CN Sabemos que muitos políticos foram injustiçados com cassações , entre eles, a deputada estadual Graciete Lisboa. O senhor tem alguma lamentação?

Kalil – Eu lamento muito por aqueles que não puderam terminar os seus mandatos por questões de perseguições políticas, nós ti vemos deputados e deputadas que tiveram a metade de seus mandatos tomados, deputados que fizeram alguma coisa por Bacabal, que levaram recursos para Bacabal, então, nós precisamos de uma mudança, e essa mudança passa pela nossa geração, o tempo está passando e não podemos ficar aí assistindo tudo de camarote, nós não podemos ser egoístas e ver somente nossos interesses, vamos nos dar um pouco, se cada um de nós nos voltarmos com o espírito desprovido de inveja, de egoísmo, de particularidades, de questões pessoais, nós podemos construir uma cidade e Bacabal precisa de todos nós.

CN Bacabal está sempre presente na sua emoção, qual é a sua verdadeira intenção?

Kalil – Bacabal me renova, eu falo coisas que são particularidades pra mim porque são reais . Não consigo ficar muito tempo em São Luis, muitas vezes o estresse do meu trabalho, o estresse de criar três filhos sozinho, me deixa inquieto e Bacabal me acalma, quando chego em Caxuxa, meu coração se enche de amor, vem um filme na minha cabeça e em discussões com amigos, quando sou provocado, questiono. Eu amo muito Bacabal e peço a Deus que me dê oportunidade, não como político, porque todos nós somos políticos, de poder ajudar, de poder fazer alguma coisa por Bacabal, eu queria ter essa oportunidade.

CN O que o senhor classifica como o pior momento de Bacabal?

Kalil – As brigas desnecessárias, os embates que não são voltados para o município, os interesses pessoais, são coisas bobas, insignificantes.

CN E como o melhor?

Kalil – É a minha infância, é ser bacabalense, é estar sempre em Bacabal, naquele calor que só lá tem. Eu sou extremamente feliz , grato a Deus por ser filho de Bacabal, e pra que se tenha uma idéia, somos dez irmãos e só eu nasci lá.

CN O senhor é músico, ritmista, e diz ter sangue negro. Explique-nos?

Kalil – Na minha família tem muitos músicos. Tem o Paulo Trabulsi, tem o Alberto Trabulsi e muitos outros que não vivem da profissão mais que tocam. O meu avô, pai da minha mãe, era negro e o meu sangue é um sangue negro e eu sou apaixonado pela comunidade negra de Bacabal e eu sou um percussionista, toco todos os instrumentos de percussão e na minha cidade, fui diretor de bateria da escola Asas Do Samba e tudo que me arremete a questão afro, eu gosto e quando sento com o Zé Lopes para fazer algumas parcerias, sempre sai música ligada a negritude.

CN O senhor arriscaria um nome para suceder Dr. Lisboa na Prefeitura de Bacabal?

Kalil – Como filho, eu acho que Bacabal precisa de uma continuidade administrativa, porque, caso o contrário, pode provocar sérios danos para o município, então eu desejo ao prefeito Dr. Lisboa, que possa fazer seu sucessor para dar continuidade ao seu bom trabalho e voltar ao passado, retomar as velhas práticas, é retroceder.

CN Como o senhor vê Bacabal administrativamente?

Kalil – Bacabal teve um período de muita inquietação, as famílias não eram respeitadas e o Dr. Lisboa trouxe essa paz, os valores de Bacabal, os filhos de Bacabal estão na sua gestão.

CN E um nome?

Kalil – Eu não arriscaria um nome, mas, se ele me apresentar eu estou a disposição. O Dr. Lisboa é um homem de muito valor, não joga uma palavra fora, e ele vai saber no momento exato de escolher o melhor nome para lhe suceder.

Felicidades é o que todos lhe desejam

Dalva Lemos

De: Joab Ricardo

Senhor Absoluto que traz em suas asas todas as consequências de uma vida, mas para que serve o tempo para nós?, se ele passa tão depressa e é um desgaste para nossas vidas?

Natalício, primavera, aniversário, para muitos apenas mais uma passagem, mais para as pessoas que foram lapidadas em ouro e diamante, o passar dos anos significa realização, autoafirmação e harmonia.

Hoje Dalva Lemos completa mas um verão da sua encantadora existência, onde colhe os frutos de uma vida ladeada pelo dom supremo, que é o amor.

Parabéns!!!

De: Henrique Muniz (Ex prefeito de Esperantinópolis)

Amiga Dalva Lemos quero me congratular com você nesta data maravilhosa, parabéns, do seu amigo Henrique Muniz.

De: Júnior Marreca (Prefeito de Itapecuru)

Você é uma pessoa muito especial, por isso nosso Deus permite mais uma primavera para você e o nosso Deus me disse que vai te dar mais 100 novas  primaveras por que você é especial.

Dalva Lemos

A coluna “Caras e Nomes” e o colunista da mesma tem a honra de desejar um feliz aniversário para a nossa maravilhosa diretora Dalva Lemos pela passagem do seu aniversário no dia, (17.12). Que Deus abençoe ricamente essa mulher forte e determinada. Parabéns e Sucesso!

Dalva Lemos

A odisséia da Gurreira

Um vulcão adormecido quando explode o seu ruído não faz cerimônia, é um grande e estrondoso boom, assim comparando explodiu em sucesso a Revista Caras e Nomes da Dama da Comunicação maranhense Dalva Lemos, que colocou seu veículo de comunicação como vitrine da mídia maranhense, inquestionavelmente sendo a melhor publicação voltada aos municípios do estado do Maranhão, mas que tem uma circulação nacional, levando orgulho do excelente trabalho gestado em nossa terra.A Revista Caras e Nomes, como top de linha atende as exigências do mercado, com uma linha editorial que varia de temáticas, da política, sociedade , cultura, etc… as personalidades destes cenários sempre estão nas páginas, com informações transparentes, criteriosas, redigidos por uma equipe de profissionais das mais competentes, onde Dalva sempre dá o toque final, por isso a razão de tanto sucesso. A Dama da comunicação festejará com todos os méritos, mais um aniversário hoje dia 17/12 e a conspiração no universo será para que sua publicação seja sempre sucesso, e ela seja sempre feliz.

Por Lindoracy Santos

Quero Chiclete, chiclete!!!!

A revista Caras e Nomes esteve presente no show da banda Chiclete com Banana que aconteceu dia 18 de dezembro, e traz até você os principais flagras dos chicleteiros maranhenses!!!!

Quero Chiclete, chiclete!!!!

Roseana e João Castelo participam do lançamento da pedra fundamental da fábrica da Votorantim

A governadora Roseana Sarney participou, nesta segunda-feira, da cerimônia de lançamento da pedra fundamental, que marca o início da construção da fábrica da Votorantim Cimentos, em São Luís. Participaram ainda do evento o presidente da empresa, Walter Schalka, e o prefeito João Castelo.

Schalka, Roseana e Castelo durante lançamento da fábrica da Votorantim

Agradecemos ao Grupo Votorantim pela implantação desse importante investimento”, declarou a governadora Roseana Sarney. Ela revelou que o Maranhão é um dos estados que mais crescem no país, lembrando que R$ 100 bilhões serão investidos nos próximos cinco anos, gerando emprego e renda para os maranhenses.

“Estamos investindo na preparação da mão de obra local para o mercado de trabalho que se abre com a implantação de grandes empreendimentos. Espero participar, no dia 13 de outubro de 2011, da inauguração desta unidade da Votorantim, com a participação de funcionários maranhenses”, destacou.

Com capacidade para produzir cerca de 750 mil toneladas de cimento por ano, o projeto da Votorantim demanda investimento de R$ 80 milhões. Na fase de construção serão gerados cerca de 450 postos de trabalho e 180 empregos diretos e indiretos quando a planta estiver operando.

Durante o evento, Walter Schalka, apresentou, em vídeo, como será a unidade da empresa em São Luís. O projeto faz parte do plano de expansão da Votorantim Cimentos que consolida o maior investimento de sua história: são R$ 5 bilhões em 22 novas fábricas, no período de 2007 a 2013. Ao final de 2013, a empresa terá 35 fábricas de cimento no país, com destacada atuação em todas as regiões.

“O Maranhão tem uma economia que cresce mais rápido que outras economias brasileiras”, reconhece Walter Schalka. “O consumo de cimento no estado cresceu 38% em relação ao ano anterior. Somente em São Luís, o crescimento foi da ordem de 40%. A unidade que vai ser implantada aqui terá capacidade para abastecer 70% do mercado local, são 750 mil t/ano, equivalente a 15 milhões de sacos de cimento”, revelou. Com esse projeto no Maranhão e outros que se consolidarão, até o fim de 2013 a empresa terá aumentado sua atual capacidade de produção de 27 para 42 milhões de toneladas por ano.

Do: Blog do Décio

Entretenimento

Danielle WinitsJonatas Faro curtiram a manhã na praia do Recreio, no Rio de Janeiro, nesta terça-feira (21). A atriz exibiu o barrigão da gestação. Ela espera um menino.

Carinhoso, Jonatas beijou a barriga de Danielle. Os dois se casaram no dia 8 de dezembro e voltaram recentemente da viagem de lua de mel. Eles viajaram para o arquipélago de Fernando de Noronha.

A atriz já é mãe de Noah, de 3 anos, fruto de seu casamento com o ator e apresentador Cássio Reis.

Do: globo.com

Entretenimento

Descuido aconteceu enquando a cantora entrava num restaurante, no último domingo (19), em Paris.

Lady Gaga se surpreendeu, no último domingo (19), quando uma fã colocou a mão em seu peito. Segundo o site “Radar Online”, o descuido aconteceu enquanto a cantora saia do restaurante Chez Andre, em Paris.
Lady chamou a atenção com um vestido longo retrô, um coque gigante e óculos escuros.
Nesta segunda-feira (20), o site “Bauergriffin”, publicou as imagens da cantora e ainda brincou com o visual, afirmando que a estrela se parecia com uma “madrasta malvada”.

Do: globo.com

Esporte

Ronaldinho Gaúcho volta à mira do Flamengo.

Fla prepara as baterias para tentar trazer Ronaldinho Gaúcho (Foto: agência AP).

A possível volta de Ronaldinho Gaúcho para o futebol brasileiro ganhou um novo (mas nem tanto) pretendente. Apesar de ainda não confirmar, a direção do Flamengo estaria preparando estratégia para, finalmente, tentar concretizar o sonho antigo de ver o craque do Milan com outra camisa rubro-negra, a da Gávea.

Ainda sem pronunciamento de representantes do Flamengo, quem estaria por trás do possível negócio é a empresa de marketing desportivo Traffic, que entraria como uma das parceiras na capitação de recursos.

Esta não seria a primeira vez que o Flamengo tenta a repatriação de Ronaldinho. No início deste ano, o jogador e seu irmão Assis (seu representante e ex-jogador do Grêmio nos anos 90) tiveram encontros com Marcos Braz, então vice-presidente de futebol do clube, porém, as tratativas não foram adiante.

Em junho, nova tentativa frustrada. Aproveitando-se do fato de Ronaldinho já ter revelado o desejo de morar no Rio (onde mora seu filho), a diretoria partiu para nova iniciativa, porém novamente sem sucesso.

Além de ser desejo antigo do Flamengo, o craque já foi sonho de consumo do Botafogo (cuja diretoria até apresentou projeto frustrado para contratá-lo) e hoje aguça a cobiça do Palmeiras (Assis considerou a proposta ‘interessante’, mas ainda não deu resposta definitiva)), e do Grêmio, onde Ronaldinho foi revelado para o mundo.

do: globoesporte.globo.com

Esporte

BELO HORIZONTE – O atacante maranhense Guilherme, ex-Cruzeiro e atualmente no Dínamo de Kiev, da Ucrânia, está em Belo Horizonte. De férias, o jogador aproveitou para visitar os amigos e, como quase sempre acontece com grandes jogadores que estão na Europa, começou a despertar o interesse de clubes brasileiros. Porém, o jogador disse que, pelo menos por enquanto, permanecerá na Ucrânia.

– Fico muito feliz com o interesse dos clubes brasileiros pelo meu futebol, mas tenho contrato com o Dínamo, e uma volta, no momento, é muito difícil. Não estou em negociação com nenhum time do Brasil. Vim a Belo Horizonte apenas para as festas de fim de ano e para rever a família. Me reapresento ao Dínamo no dia 13 de janeiro e estou otimista para a sequência do Campeonato Ucraniano e também na Liga Europa.

Além do Cruzeiro, onde escreveu uma história importante, Guilherme estaria sendo pretendido pelo Santos, do técnico Adilson Batista, com quem trabalhou em 2008.

Do: imirante.globo.com

Revista da TAM exalta belezas dos Lençóis Maranhenses

A última edição da revista “TAM nas Alturas”, da companhia aérea homônima, destaca em reportagem de dez páginas as belezas dos Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.

Sob o título “Camas de areia e mar”, a matéria faz um passeio pelos becos do Centro Histórico de São Luís – “onde tudo começa” – e dá dicas de roteiros que começam pela capital e termina nas dunas e lagoas de Barreirinhas, a “base estratégica” para o passeio.

“Como ir de São Luís aos Lençóis? Pode ser de ônibus e de carro – a estrada está asfaltada, são apenas três horas, mas aí entra a desvantagem: depois, todas as atrações pedem um barco ou um veículo 4X4. E, mesmo que você tenha um potente jipe, vai precisar de um guia para fazer os passeios, por causa da dificuldade de orientação nas dunas e nos alagados. Em todo caso, seu destino é Barreirinhas, cidade que cresceu demais na última década. Não está em um lugar paradisíaco nem pertinho das dunas, mas é o ponto de partida de todos os roteiros, o que torna praticamente obrigatório passar ao menos um dia por aqui”, diz o texto de Eduardo Petta.

Veja aqui a edição online da revista com a matéria completa, a partir da página 86.

do: Blog do Gilberto Leda

Amanhã nas bancas

A 8ª Edição da revista Caras e Nomes estará nas bancas à partir de amanhã dia 22 de dezembro de 2010!!!


Não Perca.

A disputa pela Famem…

A rigor, apenas três candidatos disputam com maior possibilidade de viabilização a presidência da Federação dos Municípios (Famem). Os três – Júnior Marreca (PV), José Mário (PMDB) e Socorro Waquim (PMDB) – com sua gama de apoios e influências em todos os setores da política maranhense.

Júnior Marreca - Prefeito de Itapecuru Mirim.

José Mário - Prefeito de São João dos Patos

Socorro Waquim - prefeita de Timon