Foto

Candidatos revelam como financiarão campanhas pelo Palácio dos Leões

Em época de campanha eleitoral os cidadãos maranhenses se perguntam: de onde virá o dinheiro que vai financiar as campanhas? Esse foi o questionamento respondido pelos candidatos a governador do Maranhão, em entrevista à reportagem do jornal O Imparcial.

Atualmente, Brasil ainda segue o modelo misto de financiamento. A Lei dos Partidos Políticos define o Fundo Partidário como provedor do financiamento público. O art. 1º da Lei nº 11.459, de 21 de março de 2007, estabelece uma parcela de 5% do Fundo a ser distribuído igualmente a todos os partidos registrados no TSE, e 95% do total distribuídos proporcionalmente ao número de votos obtidos nas últimas eleições para Câmara dos Deputados. Ademais, permite doações privadas, oriundas de pessoas físicas ou jurídicas, às campanhas, conforme dispõe o art. 20 da Lei nº 9.504/1977.
OPINIÃO
O candidato Lobão Filho (PMDB) se diz a favor do modelo público de financiamento de campanhas. Na opinião dele, esse é o modelo mais favorável à Democracia. “Eu acho que o financiamento público equilibra todos os candidatos, aqueles que têm e os que não têm recursos. Hoje temos um modelo misto o qual é proposto um fundo partidário muito forte”, declarou.
Lobão Filho diz considerar ainda outras questões também importantes, como as coligações. “Os parlamentares ainda discutem a reforma eleitoral, mas existem situações que eu considero mais injustas que a questão do financiamento, como por exemplo a questão das coligações proporcionais, porque acredito que o mais votado é o que tem que ganhar, existem distorções muito sérias”, disse.
O candidato do PMDB afirmou que irá atrás de apoios de patrocinadores que irão apoiar a campanha. “O fundo partidário custeou alguns eventos da minha pré-campanha, os quais eu ainda não possuía CPNJ e nem recursos. Já estou em busca de patrocinadores, com relativo sucesso e nossa campanha será integralmente custeada por esses recursos. O nosso partido PMDB deu o ‘start’, mas a partir de agora serão recursos depositados na minha conta eleitoral”, disse.
O candidato Luís Antônio Pedrosa (PSOL) declarou ser contra o modelo misto de financiamento. “Nós somos contra esse modelo. Ele é apenas uma forma de mediação entre o financiamento público e o financiamento privado. Permaneceriam as mesmas distorções no sistema. Nós acreditamos que acampanha política deve impedir totalmente a contribuição de pessoas jurídicas privadas. E achamos que as contribuições de pessoas físicas devem ter um limite”, defendeu.

Ministério da Saúde destina mais de R$ 2, 5 milhões para três municípios maranhenses

O Ministério da Saúde destinou R$ 27,6 milhões para custeio das ações da área de Média e Alta Complexidade (MAC) de 53 cidades de 17 estados. O objetivo do reforço orçamentário é ampliar o atendimento prestado à população na rede pública e conveniada ao Sistema Único de Saúde (SUS). Os valores destinado pelo MS constam na Portaria Nº 1.508, de 18 de julho de 2014.

No Maranhão, três municípios tiveram recursos liberados para investimento na melhoria do atendimento da saúde, totalizando um repasse de mais de R$ 2.5 milhões. Caxias teve destinação de mais de R$ 1.2 milhões para cinco unidades. O município de Miranda do Norte teve mais de R$ 1.3 milhões e para o município de Paulino Neves, o Ministério da Saúde destinou R$ 90 mil.

Em Caxias, receberão recursos, as seguintes unidades de saúde: Policlínica PAM (R$ 300 mil), Maternidade Carmosina Coutinho (R$ 2.993 mil), Centro Especializado em Assistência Materno Infantil – CEAMI (R$ 400 mil), Hospital Geral de Caxias (R$ 200 mil) e Samu (R$ 300 mil).

Para Miranda do Norte, a Portaria do Ministério da Saúde, autoriza dois repasses para o Hospital Municipal Pedro Vera Cruz Bezerra no valor de R$ 803 mil e R$ 501.450 mil.

Já em Paulino Neves, o Centro de Saúde Santa Terezinha teve autorização de repasse de R$ 90 mil.

Ações
As ações do bloco de financiamento MAC incluem o pagamento de procedimentos como quimioterapia, financiamento de hospitais de pequeno porte, centros de especialidades odontológicas, laboratórios deprótese dentária, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) e habilitação de leitos.

Torcedor do Corinthians se revolta por deixar jogo antes do fim: “Vergonha!”

Os corintianos costumam dizer que jamais abandonaram o time. Nem no período de 23 anos sem títulos, muito menos em 2008, quando o clube disputou a segunda divisãodo Campeonato Brasileiro. Mas, na última quarta-feira, seus apaixonados torcedores tiveram de virar as costas para a equipe. Pelo menos, nos minutos finais da partida contra o Bahia, pela Copa do Brasil, em função do fechamento da estação Corinthians-Itaquera do metrô pouco tempo depois do fim do jogo. E isso deixou os corintianos revoltados.

- O jogo acaba meia-noite. Eu vou em todos os jogos do Corinthians e, pela primeira vez, eu vi quase o estádio inteiro sair antes do término do jogo. A gente ouviu o gol da rua. É uma vergonha! Uma vergonha não ter como as pessoas voltarem para casa – esbravejou um torcedor.

Com uma caminhada de aproximadamente 10 minutos entre a Arena Corinthians e a estação do metrô, a grande maioria dos torcedores alvinegros começou a debandada depois dos 15 minutos do segundo tempo. O motivo era simples: quem mora mais longe, precisou sair mais cedo.

- Olha a quantidade de pessoas que está indo embora para casa agora. Isso não pode acontecer. Eu moro em Interlagos. Jamais iria deixar o Corinthians, mas se eu não deixo o Corinthians, o Estado me deixa – reclamou o alvinegro, que ainda precisaria encarar, pelo menos, 40 km até chegar em casa.

Depois da vitória de 3 a 0 sobre o Bahia pela Copa do Brasil, o Corinthians terá tempo para buscar um acordo com os responsáveis pela CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Isso porque o próximo jogo do Timão no horário das 22h será contra o Goiás, dia 20 de agosto, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Torcida do Corinthians deixa estádio antes do término da partida (Foto: Reprodução SporTV)
Estádio Corinthians com clarões nas arquibancadas (Foto: Reprodução SporTV)

O Relatório de Desenvolvimento Humano divulgado nesta quinta-feira (23) pela Organização das Nações Unidas (ONU), informa que o Brasil está abaixo da média da América Latina em educação e expectativa de vida. O estudo das Nações Unidas calcula o Índice de Desenvolvimento Humano dos países com base em indicadores de educação, saúde e renda.

O Brasil avançou uma posição no ranking mundial, passando do 80º lugar em 2012 (IDH de 0,742) para o 79º em 2013 (IDH 0,744) no ranking do desenvolvimento humano. O índice do Brasil coloca o país na faixa das nações com “elevado desenvolvimento humano”. O índice varia em uma escala de 0 a 1. Quanto mais próximo de 1, mais elevado é o IDH (veja na tabela abaixo).

Arte índice de desenvolvimento humano 2013 (Foto: Editoria de Arte / G1)

Apesar da melhora no ranking, os dados da ONU não revelam avanço significativo em educação e expectativa de vida. A média de estudo na América Latina é de 7,9 anos; no Brasil, 7,2 anos. O número é o mesmo desde 2010.

A coordenadora do Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil, Andreia Bolzon, minimizou o fato de os números permanecerem inalterados. Segundo ela, a ONU teve que usar dados mais antigos para a média de anos de estudo porque eram os números passíveis de serem comparados com a evolução dos demais países.

Segundo ela, levantamentos mais atuais revelam que o Brasil avançou para uma média de 7,6 anos de estudo, ainda abaixo, porém, da média da América Latina. A expectativa de vida do brasileiro teve um ligeiro aumento, de 73,7 anos em 2012 para 73,9 anos em 2013. Mas segue abaixo da média latino-americana, de 74,9 anos.

De acordo com o relatório das Nações Unidas, os países da América Latina com maior grau de desenvolvimento humano são Chile (41º no ranking), Cuba (44º) e Argentina (49º). Os três países são classificados como de “muito elevado desenvolvimento”.

Outros 29 países da região estão classificados como de “elevado desenvolvimento” ou “médio desenvolvimento”. Somente o Haiti permanece no grupo de “baixo desenvolvimento humano”.

Apesar desses indicadores, a melhora nos índices da América Latina desacelerou nos últimos anos.

De acordo com as Nações Unidas, o crescimento anual do IDH na região caiu pela metade nos últimos cinco anos em comparação com o crescimento verificado entre 2000 e 2010.

O relatório atribui a desaceleração à crisefinanceira internacional e sugere a criação de um Fundo Monetário Latino-Americano para completar reservas internacionais que servem de auxílio para países em situação de vulnerabilidade financeira.

De acordo com a ONU, 45 milhões de pessoas da América Latina e Caribe correm risco de cair na chamada “pobreza multidimensional”, quando há a carência de condições mínimas para a sobrevivência digna, como alimentos e saneamento básico.

Brasil obtém permissão da ONU para explorar minério em fundo do oceano

Área a ser explorada fica em águas internacionais, a 1.500km da costa do Rio de Janeiro (Foto: Divulgação/CPRM/BBC)

O Brasil foi autorizado por um braço da ONU a explorar recursos mineirais em águas internacionais do oceano Atlântico, levantando tanto potenciais ganhos econômicos quanto preocupações ambientais.

Essa mineração submarina é considerada uma nova fronteira na busca por metais preciosos, como manganês, cobre e ouro, que se tornaram essenciais na economia mundial moderna.

A permissão foi concedida pela Autoridade Internacional de Fundos Marinhos (Isba), órgão vinculado à ONU, e confere ao país o direito de atuar por 15 anos em uma área de 3 mil quilômetros quadrados na região do Atlântico conhecida como Elevação do Rio Grande, localizada a cerca de 1,5 mil km do Rio de Janeiro.

O pedido foi feito em dezembro pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM) em nome do Ministério de Minas e Energia, depois do investimento de R$ 90 milhões ao longo de quatro anos de estudos sobre o potencial geológico desta área.

Potencial econômico
O Brasil poderá estudar as chamadas crostas ferromanganesíferas ricas em cobalto em projetos de mineração submarina. Segundo os estudos realizados pela CPRM, esses depósitos foram identificados como os de maior potencial econômico e estratégico em levantamentos realizados em expedições a essa região.

“Nestes 15 anos, mapearemos o que existe lá e avaliaremos seu potencial econômico. Depois, podemos entrar com um novo pedido para explorar economicamente”, afirma à BBC Brasil Roberto Ventura Santos, diretor de geologia e recursos minerais do CPRM.

“As possibildades são interessantes, porque é uma região rica em elementos químicos usados na indústria, especialmente nas de alta de tecnologia, na produção de chips, peças de usinas eólicas e carros elétricos.”

Santos afirma ainda que o Brasil ampliará seu conhecimento técnico sobre este tipo de mineração submarina, formará profissionais capacitados a trabalhar nesta área e criará tecnologia para tal.

“Somos o primeiro país da América Latina a conseguir essa permissão e, assim, entramos no seleto grupo de países que fazem este tipo de exploração, como Japão, Estados Unidos e China”, diz Santos.

Novas permissões

Reservas de metais no fundo do oceano são consderadas nova fronteira da mineração (Foto: Reuters/BBC)

Além do Brasil, a ONU concedeu outras seis novas permissões a empresas públicas e estatais doReino Unido, Cingapura, Ilhas Cook, Índia, Alemanha e Rússia.

Com isso, a área total do leito oceânico liberada para exploração foi ampliada para 1,2 milhão de quilômetros quadrados, sob um total de 26 permissões de exploração científica.

A ONU ainda não conferiu nenhuma permissão de exploração econômica, conhecida como explotação, mas as primeiras devem ser concedidas nos próximos anos, segundo a Isba.

“Existe um interesse crescente”, disse Michael Lodge, da Isba, à BBC. “A maioria dessas últimas permissões foi concedida a empresas que esperam minerar estas áreas em pouco tempo”.

No entanto, ainda precisam ser negociadas as condições e regras dessa atividade econômica, como por exemplo a divisão de royalties, já que um dos princípios básicos da Isba é que as riquezas do fundo do oceano devem ser compartilhadas globalmente.

A exploração mineral do fundo oceano começou a ser investigada na década de 1960, mas só recentemente tornou-se possível graças a avanços tecnológicos – criados nas indústrias de petróleo e gás. Ao mesmo tempo, o preço destas matérias-primas aumentou, aumentando o potencial retorno econômico, o que viabilizou os investimentos necessários para obtê-las.

Impacto ambiental
No entanto, esse tipo de exploração não é vista com bons por grupos de defesa do meio ambiente, que alegam que a exploração pode trazer prejuízos para ecossistemas marinhos. Um protocolo para minimizar o impacto ambiental ainda está sendo estudado.

O biólogo marinho Jon Copley, da Universidade de Southampton, vem monitorando a mineração nas chamadas dorsais oceânicas, nome dado às cadeias de montanhas submersas que se originam do afastamento de placas tectônicas.

“Cerca de 6.000km de dorsais oceânicas, ou 7,5% do total, são exploradas hoje por seu potencial mineral”, afirma Copley.

“Essas dorsais são um dos três locais do fundo do oceano em que há depósitos mineirais que atraem o interesse de países e empresas. Mas também vivem nestes locais colônias de espécies que não são encontradas em outras partes do oceano e podem ser suscetíveis a impactos ambientais gerados pela mineração.”

Santos, da CPRM, diz que isso será levado em conta no caso brasileiro: “Faremos um estudo de impacto ambiental junto com o de potencial econômico. Nosso pedido foi muito elogiado por causa disso”.

Israel chama Brasil de ‘anão diplomático’ por convocar embaixador

Israel lamentou nesta quinta-feira (24) a decisão do Brasil de chamar para consultas seu embaixador em Tel Aviv, uma decisão que, segundo o governo israelense, “não contribui para encorajar a calma e a estabilidade na região” e chamou o país de “anão diplomático” por causa do gesto.

O porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Yigal Palmor, disse que a decisão brasileira “não reflete o nível de relação entre os países e ignora o direito de Israel defender-se”. De acordo com a publicação “The Jerusalem Post”, Palmor afirmou que a medida “era uma demonstração lamentável de como o Brasil, um gigante econômico e cultural, continua a ser um anão diplomático”.

“Israel manifesta o seu desapontamento com a decisão do governo do Brasil de retirar seu embaixador para consultas”, diz comunicado da chancelaria israelense. “Esta decisão não reflete o nível das relações entre os países e ignora o direito de Israel de se defender. Tais medidas não contribuem para promover a calma e estabilidade na região. Em vez disso, elas fornecem suporte ao terrorismo, e, naturalmente, afetam a capacidade do Brasil de exercer influência. Israel espera o apoio de seus amigos na luta contra o Hamas, que é reconhecido como uma organização terrorista por muitos países ao redor do mundo”.

O governo brasileiro convocou para consultas o embaixador em Tel Aviv após considerar “inaceitável a escalada de violência” e condenar “energicamente o uso desproporcional da força por Israel na Faixa de Gaza”.

O ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, afirmou nesta quinta-feira (24), em entrevista à TV Globo, que o Brasil reconhece odireito de defesa de Israel, mas que as ações militares na Faixa de Gaza devem ser feitas com “proporcionalidade”. O ministro criticou mortes de crianças e civis e as classificou como “inaceitáveis”.

“O Brasil, desde o início, condenou tanto o lançamento de foguetes pelo Hamas, e nós fomos abundantemente claros com relação a isso, como condenamos tambem a reação de Israel. Nós não contestamos o direito de defesa que Israel tem. É um direito que ele tem. Nós contestamos a desproporcionalidade entre uma coisa e outra. Morreram cerca de 700 pessoas na Faixa de Gaza, a grande maioria delas civis e um número também bastante alto de mulheres e crianças. Isso não é aceitável e é contra isso que nós nos manifestamos”, afirmou o ministro.

A Confederação Israelita do Brasil também divulgou uma nota nesta quinta manifestando sua “indignação” com a posição brasileira. A confederação diz compartilhar da “preocupação do povo brasileiro e expressa profunda dor pelas mortes nos dois lados do conflito. Assim como o Itamaraty, esperamos um cessar-fogo imediato.”

Entretanto, o grupo critica o governo brasileiro por eximir “o grupo terrorista Hamas de responsabilidade no cenário atual. Não há uma palavra sequer sobre os milhares de foguetes lançados contra solo israelense ou as seguidas negativas do Hamas em aceitar um cessar-fogo. Ignorar a responsabilidade do Hamas pode ser entendido como um endosso à política de escudos humanos, claramente implementada pelo grupo terrorista e que constitui num flagrante crime de guerra, previsto em leis internacionais.”

Nos 17 dias de ofensiva militar em Gaza, pelo menos 733 palestinos e 35 israelenses morreram. Além disso, 4.600 palestinos ficaram feridos.

 

Prefeitura de Lago do Junco recebe Patrol do PAC 2

Segundo o prefeito Osmar Fonseca a máquina destina-se a utilização em obras de interesse social para a promoção da agricultura familiar agrária, em especial a recuperação de estradas vicinais.

O município de Lago do Junco acaba de receber em doação do Governo Federal, através do MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário), via PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento), uma motoniveladora (patrol). A maquina chegou nesta quarta-feira, dia 21.
A conquista foi fruto do intenso trabalho do prefeito Osmar Fonseca (PT), junto ao PAC 2, no sentido de justificar ao governo federal a necessidade do equipamento no município. O prefeito agradeceu o MDA e também a presidente da República Dilma Roussef (PT). “Quero agradecer a todos envolvidos na destinação dessa máquina motoniveladora para o município de  Lago do Junco. Com esta nova máquina vamos intensificar a recuperação e manutenção das estradas vicinais. O nosso projeto de valorização do homem do campo vai estar mais estruturado e atingirá o objetivo que é valorizar e incentivar a agricultura familiar”, justificou Osmar Fonseca.
O prefeito, frisou que a máquina destina-se a utilização em obras de interesse social para a promoção da agricultura familiar agrária, em especial a recuperação deestradas vicinais e em obras que vise o fortalecimento da agricultura familiar. O prefeito destacou o trabalho do vice-prefeito Enoc Lopes e de alguns vereadores que juntos se empenharam em mais essa conquista. “ Esse governo faz a diferença com muita responsabilidade para o melhor do povo juncoense”, finalizou Osmar Fonseca.

Piçarramento de ruas do povoado Benedito Mendes

A rotina do povoado de Benedito Mendes, que tem pouco mais de 110 famílias, mudou desde o inicio da semana. Máquinas e caçambas quebram o silencio diário daquela comunidade, com os trabalhos de terraplanagem e piçarramento das ruas. A movimentação é intensa.
Na próxima sexta feira na parte da manhã, está programada a solenidade de entrega à comunidade, dos serviços de recuperação dos 17 km de estrada e piçarramento do povoado.  A prefeita Eunice Damasceno e sua equipe de governo estarão presentes. Na oportunidade será realizado um torneio de futebol, onde também vai ser oferecido um churrasco para população.
Bendito Mendes é conhecido por ser a região de maior produção de melancia, farinha, e feijão.
A recuperação da estrada trará grandes benefícios aos trabalhadores rurais daquela região, facilitando o escoamento de suas produções.

Ruas e avenidas limpas em Urbano Santos

O município de Urbano Santos vive uma nova realidade desde que a empresa Biolimp assumiu os trabalhos de limpeza pública na cidade.

Ruas e avenidas estão sendo bem cuidadas por equipes preparadas e muito bem equipadas para executarem os serviços de limpeza e conservação urbana.

A população já sente os resultados positivos e reconhece a importância da contratação de uma empresa especializada para desenvolver os trabalhos.

Prefeitura De Santa Luzia Do Paruá entrega colchões para creches do município

Na manhã desta segunda feira a Prefeitura de Santa Luzia Do Paruá Realizou a entrega de 100 colchonetes Para a Direção Das 7 Creches Municipais.
Prefeita Eunice Damasceno vem demostrando Atenção Especial a Educação Municipal. A Entrega dos Colchões Foi Visando melhorar o atendimento às crianças Nas Creches Municipais que presta um belo atendimento a população De Santa Luzia Do Paruá.
Os colchões serão usados para a “hora do soninho” das crianças de 0 a 6 anos que frequentam as Creches.

Lago da Pedra é contemplado com Hospital Regional do Programa Saúde é Vida

O Governo do Estado, através da Secretaria da Saúde, contratou a MPA Construções e Participações Ltda para construir o hospital de 40 leitos em Lago da Pedra. São 420 dias de vigência do contrato, assinado em 29 de maio. O valor da obra foi alçado em R$ 8.525.928,52 (oito milhões, quinhentos e vinte e cinco mil, novecentos e vinte e oito reais e cinquenta e dois centavos).

Lago da Pedra é contemplado com mais uma grandiosa obra. A pedido da prefeita Maura Jorge a Governadora Roseana Sarney autorizou a construção de um Hospital Regional com 40 leitos do programa “Saúde é Vida”, que será construído no bairro Vila Mangueira, saída para a cidade de Paulo Ramos, e irá atender as demandas do município e das cidades vizinhas, otimizando assim os serviços de saúde em nossa região.

O Governo do Estado já entregou diversos hospitais regionais à população Maranhense, como os de Alto Alegre do Maranhão e de Peritoró. A meta da Governadora é de criar o maior sistema de saúde publica do Brasil, construindo hospitais regionais em cidades estratégicas.
A cidade de Lago da Pedra vive um momento de Compromisso com o Desenvolvimento, trazendo mais saúde e dignidade para o povo lagopedrense.

São Raimundo do Doca Bezerra – XX TORNEIO “BETO CABRAL”

Uma das maiores tradição esportiva e culturais de São Raimundo do Doca Bezerra é o torneio de futebol promovido e idealizado pelo ex-vereador Beto Cabral. O “Torneio Beto Cabral” em 2014 chega ao 20º ano com muito sucesso. O torneio de futebol é uma grande festa que atrai visitante de várias regiões. O evento do município chega a contar com o apoio de lideranças politicas local e de outras regiões, que sempre colaboram com a festa esportiva e cultural. Domingo, dia 27 está previsto o encerramento do torneio, com uma grande festa. O organizador Cabral convida a população de São Raimundo do Doca Bezerra e dos municípios vizinhos para participar da festa de encerramento.

A candidata a deputada estadual Ana do Gás (PRB – Nº 10000) esteve
presente no Torneio de Beto Cabral em 2013

Prefeitura de Paulo Ramos realiza operação tapa-buraco

A Prefeitura de Paulo Ramos (MA) está realizando operação tapa-buracos, atendendo diversos bairros e comunidades. As vias que apresentam necessidades receberão melhorias.
O Prefeito Dr. Tanclêdo ressalta que a operação foi planejada pensando na segurança, no conforto e na qualidade de vida dos pauloramenses. “Sabemos que todos necessitam de ruas em boas condições, pois isso afeta diretamente a vida das pessoas. Planejamos muito e com a dedicação de toda a equipe, a operação está sendo um sucesso”.
As obras avançam nas vias públicas da cidade, e tem comunidades que está ansiosas para receber esses serviços.

Gestantes são beneficiadas com kits de enxovais no município de Governador Newton Bello

Na manhã desta terça-feira (22), foram entregues os kits de enxovais para as gestantes do município de Governador Newton Bello, no Centro de Referência da Assistência Social – CRAS. Os kits fazem parte do projeto “Mãe, mãos que acalentam” da Secretaria de Assistência Social, por meio do CRAS, em parceria com a Secretaria de Saúde. Ao todo, 20 gestantes foram beneficiadas com os materiais de enxoval para recém nascido.

Os conjuntos contam com cerca de 20 itens para as crianças como, por exemplo, banheiras, toalhas, fralda entre outros. A solenidade de entrega dos kits teve a presença da prefeita Leula Brandão; da secretária de Assistência Social, Antonia Duarte; do coordenador do CRAS, Osvaldo Pereira, do vereador do município, Carlos Sucesso; entre outras.
As gestantes beneficiadas com os kits são assistidas pelo CRAS e pela secretaria de saúde desde o início da gravidez. O projeto possibilita às gestantes da cidade o acesso garantido aos serviços de saúde, tendo assistência durante todo o ciclo gestacional, ou seja, do início da gravidez até o puerpério (período pós-parto).
A prefeita Leula Brandão, ressaltou a importância do programa para aqualidade de vida das gestantes do município. “A nossa preocupação é com as mamães e seus filhos, por isso, procuramos fazer todo o acompanhamento desde o primeiromês de gravidez até após o nascimento do bebê. Para isso, a Prefeitura não tem medido esforços para atendê-las da melhor maneira possível”, ressalta a gestora.
Além da entrega dos kits enxovais a prefeita Leula Brandão ainda sorteou para as gestantes um berço para recém nascido e ainda na ocasião, foi servido um lanche para as futuras mamães.

Carteira do Idoso

Aproveitando a ocasião, a Secretaria de Assistência Social realizou ainda entrega da Carteira do Idoso ás pessoas aptas a ter acesso ao documento.
A ação foi coordenada pela própria secretária Antonia Duarte, onde foi entregue cerca de 14 carteirinhas.
De acordo com Dona Antonia, com a Carteira, as pessoas da melhor idade podem obter descontos em transportes de passageiros e facilidade de acesso a programas do Governo Federal.
A secretária, explica que a Carteira do Idoso é o instrumento de comprovação para que o idoso tenha acesso gratuito ou desconto de, no mínimo, 50% no valor das passagens interestaduais, nos transportes rodoviário, ferroviário e aquaviário, de acordo com o Estatuto do Idoso (Lei nº 10.741/03).

Lula diz que política no Brasil está ‘desmoralizada’ e ‘apodrecida’

Ex-presidente disse que Brasil ainda tem muito a melhorar (Foto: Mariane Rossi/G1)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta terça-feira (22) que a política no Brasil está “desmoralizada” e apodrecida” e defendeu a aprovação de uma ampla reforma política no país.

Lula falou durante palestra para trabalhadores e líderes sindicais durante o 8º Congresso da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado de São Paulo (FEQUIMFAR), que aconteceu em Praia Grande, no litoral de São Paulo.

Segundo o ex-presidente, o combate à corrupção é um dos desafios do país.

“A política está desmoralizada nesse país, está apodrecida. Precisamos de uma reforma política nesse país”, afirmou ele.

No final do evento, Lula comentou sobre a pesquisa Datafolha divulgada na quinta-feira (17) que mostrou a presidente Dilma Rousseff (PT), que tenta a reeleição, com 36% das intenções de voto para presidente, seguida de Aécio Neves (PSDB), com 20%, e Eduardo Campos (PSB), com 8%. Para o ex-presidente

“A campanha vai começar agora. Ela vai crescer. Ela lidera”, afirmou Lula. No levantamento anterior do Datafolha, realizado nos últimos dias 1º e 2, Dilma tinha 38%, Aécio, 20%, e Eduardo Campos, 9%.

 

Conquistas e economia
Durante a palestra com o tema “Os avanços e conquistas sociais e os novos desafios”, Lula contou sua experiência de ficar um ano e meio desempregado na juventude e também ressaltou os avanços e conquistas sociais no Brasil nos últimos 12 anos. Dentre as melhorias, ele citou a educação, a habitação, o aumento da classe média e o salário mínimo.

“Nós provamos algumas coisas que eram históricos tabus no país. Nós provamos que era possível aumentar o salário mínimo sem aumentar a inflação. Nesses últimos 12 anos, me parece que quase 94% das categorias organizadas tiveram reajuste de salário. Nós aumentamos o salário mínimo em 72% neste país e não causou a inflação. Nós começamos a exportar e ao mesmo tempo crescer o mercado interno, e o país não quebrou”, falou o ex-presidente.

Ele também ressaltou que 42 milhões de brasileiros passaram a ter padrão de consumo de classe média e 36 milhões de pessoas saíram da extrema miséria.

Lula disse que o momento é de reflexão já que a economia não está crescendo tanto. Para ele, o governo não tem culpa em relação à situação financeira brasileira. Segundo Lula, a crise mundial foi causada por “irresponsabilidade e falta de controle” do sistema financeiro de vários países.

“Aconteceu exatamente no coração dos países ricos, nos Estados Unidos, na Alemanha, na França. Os países que antes sabiam dar lição de moral na gente, e quando a crise veio na casa deles, eles até hoje não sabem como sair da crise. Eles poderiam ter humildade e vir perguntar para nós, nós os ensinamos como sair da crise”, disse o ex-presidente.

Além disso, Lula falou sobre como comandou o país durante oito anos e indicou que, para governar o Brasil, é preciso “agir como se fosse mãe”.

“Para governar um país dessa magnitude tem que governar com o sentimento, com o coração. Tem que fazer escolhas todos os dias. Governar é agir como se fosse mãe. Ele tem que ser de todos, mas ele tem que olhar a parte mais necessitada”, falou ele.

Após o discurso no evento, Lula disse também que não está preocupado com o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. E frisou que retrações são culpa da crise mundial.

“Nós temos dois problemas. Temos uma crise mundial que fez com que o comércio do mundo diminuísse e temos um problema de investimento interno que já foram anunciadas obras. Já tem bilhões de reais colocados para infraestrutura em licitações e essas obras estão sendo preparadas. [...] Estou muito tranquilo em relação ao futuro do crescimento do Brasil”, disse ele.

 

Dilma e aliados discutirão palanques estaduais em reunião no Alvorada

Presidentes de partidos que compõem a coligação da campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição se reunirão na noite desta terça-feira (22) na residência oficial do Palácio da Alvorada para discutir, entre outros pontos, as ações que serão tomadas pela campanha em relação aos palanques estaduais.

Entre os presidentes, estarão Rui Falcão (PT), Michel Temer (PMDB), Ciro Nogueira (PP), Carlos Lupi (PDT), Gilberto Kassab (PSD) e Marcos Pereira (PRB). O presidente do PR, o ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento, no entanto, não deverá comparecer ao encontro e enviará representante.

Nesta segunda (21), parte da coordenação da campanha da presidente à reeleição participou de reunião no comitê de Brasília, para traçar as medidas que serão tomadas ao longo do período eleitoral.

Ao G1, o presidente do PDT, Carlos Lupi, afirmou que o partido não levará pedidos à presidente, mas apresentará propostas a serem incluídas na campanha, como a definição sobre palanques nos estados.

Segundo Lupi, a “principal contribuição” que oPDT dará à campanha será tanto na coordenação do programa de governo quanto na participação em áreas setoriais, como o comitê financeiro.

“A gente quer ver como estão os palanques estaduais, voltar a afirmar nossa lealdade e vamos fazer um desenho nacional da campanha, tentando ajudar nas designações estaduais, para aproximar a campanha com os partidos nos estados (…) Definiremos também como cada partido atuará na campanha.  A ideia, ainda, é unificar o discurso”, disse.

Já o senador Ciro Nogueira, presidente do PP, ressaltou ao G1 que a reunião desta noite servirá também para que se defina atribuições de partidos. Na avaliação do parlamentar, o encontro entre Dilma e partidos que compõem a coligação “aproxima ainda mais” as legendas e unifica as estratégias.

“Eu acho que o importante de hoje é definir as atribuições de cada um na campanha, as estratégias e iremos tomar conhecimento de como será a campanha, além, claro, da participação da presidenta Dilma, do ex-presidente Lula. (…) Discutiremos ainda estratégias sobre a participação dos partidos coligados, para que se tenha um comprometimento maior ainda dos aliados”, afirmou.

Dilma tem recebido no palácio com frequência os principais coordenadores de sua campanha, como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Rui Falcão, o ex-ministro da Secretaria de Comunicação Social Franklin Martins, responsável pela campanha na internet, e o ex-chefe de gabinete Gilles Azevedo, coordenador da agenda de Dilma durante a campanha.

Além deles, ministros como Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Ricardo Berzoini (Relações Institucionais) também têm participado dos encontros da cúpula da coordenação da campanha da presidente Dilma.

Segundo informou o comitê de campanha de Dilma, o primeiro ato eleitoral da presidente deverá ocorrer no próximo dia 31, em Guarulhos (SP), durante evento da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Bolsista, lavador de carros do DF passa na OAB antes de se formar

O lavador de carros e estudante de direito Flávio Dias da Silva, de 36 anos, que foi aprovado em exame da OAB no Distrito Federal (Foto: G1)

O sonho de ser chamado de “doutor” chegou bem mais cedo que o esperado para um lavador de carros do Distrito Federal. Prestes a começar o último semestre de direito em uma faculdade de Taguatinga, o bolsista Flávio Dias da Silva, de 36 anos, foi aprovado no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O resultado coroou uma batalha iniciada há 18 anos, quando o piauiense chegou à capital do país em busca de uma vida melhor.

“Nasci em Floriano, no interior [do Piauí]. Não era uma cidade tão desenvolvida como hoje. Minha mãe criou a mim e meus quatro irmãos sozinha desde que meu pai nos abandonou. Ela era professora da rede estadual, então o salário não era muito, e sempre havia alguma dificuldade. Só que nossa base de estudo era forte, e ela investiu muito em mim. Estudei em escola particular a vida toda e vendia picolé para ajudá-la a pagar a mensalidade”, lembra Silva.

Com o ensino médio concluído e a poucos dias de completar a maioridade, o homem decidiu buscar em Brasília alguma oportunidade. O objetivo era colaborar com a mãe no custeio das despesas da família e com a então namorada, que havia acabado de descobrir que estava grávida.

O primeiro emprego de Silva foi como balconista de uma padaria, substituído meses depois pelo de garçom. Ao todo, foram 5 anos no ofício, ganhando um salário mínimo e aguentando todo tipo de “decepção”. “Havia toda exigência de patrão e clientes, e o que eu recebia simplesmente não rendia. Acabava o dinheiro antes do mês”, revela.

O auge da frustração veio no dia em que o piauiense precisou de apenas R$ 1 para uma despesa da qual ele já nem se lembra mais. Sem sobras no salário, Silva pediu a quantia emprestada a um vizinho e acabou recebendo o primeiro “chacoalhão” que o levaria a mudar de vida.

“Ele me pagou um sermão, e eu juro que isso não me deixou magoado. ‘Que idade você tem? Rapaz, você tem que parar de depender dos outros para ter dinheiro. Caça um lote para capinar, um carro para lavar’, foi o que ele me disse”, conta. “Eu fiquei envergonhado, mas aquilo mexeu comigo. Aí me vi obrigado a correr atrás de algo diferente.”

A ideia de lavar carros ganhou força com o incentivo de um amigo, que já tinha montado um “ponto” na CNA 2, em Taguatinga. Silva passou algum tempo dividindo os lucros do serviço com o colega, mas de novo sentiu que o rendimento era pouco para as muitas horas de trabalho – das 7h até quando houvesse demanda. A partir daí, já com 25 anos, ele passou a exercer a atividade por conta própria.

O local escolhido foi a CNA 1, perto do Cartório do 5° Ofício de Notas. O tabelião e outros funcionários da instituição, assim como donos de lojas próximas, viraram clientes fieis de Silva. O rendimento chegava a R$ 600 por mês –  bem superior ao que até então ganhava nas demais atividades. E o jovem mantinha religiosamente uma preocupação: pagar o INSS.

Seis anos depois, quando já tinha um segundo filho, com uma gari, veio o segundo chacoalhão. O lavador de carros estava deixando o pequeno Rodrigo, de então 4 anos, em uma creche de Ceilândia e ouviu uma pergunta perturbadora. “Ele falou: ‘Pai, quando você vai comprar um carro para me trazer, que nem os outros pais fazem com meus coleguinhas?’. Não vou mentir, aquilo me doeu. Ele via essa cena todos os dias. E é triste uma criança te pedir algo e você não poder dar”, diz.

Impulsionado pelo cliente Francisco de Assis Brito, dono de uma loja de materiais metálicos que fica em frente ao local onde lavava carros, Silva decidiu arregaçar as mangas e, em segredo, prestar vestibular em uma faculdade particular. “Fico muito orgulhoso de ver o resultado, ele é como um filho para mim. E eu dei um empurrão. Lembrei que ele tinha 2° grau, que tinha feito curso técnico, que tinha inteligência. Ele tinha todas as chances de sair daquela vida”, analisa o empresário.

O lavador de carros marcou duas opções para a prova: direito, em primeiro lugar, e pedagogia, em segundo. Os cursos foram inspirados nas pessoas com quem tinha convívio e admirava, como o tabelião e a própria mãe. A aprovação, segundo Silva, foi uma surpresa.

“Eu pensava que, se não desse em um, daria em outro. Só que, ao mesmo tempo, duvidava que, tantos anos depois de ter saído de uma sala de aula, conseguiria passar”, afirma. “Foi um prêmio para mim. Não tão gostoso quanto o da OAB, claro, mas ali vi todo o caminho que eu pretendia e ainda pretendo alcançar.”

Só que o resultado trouxe uma nova dificuldade. Os lucros com a lavação de carros não eram suficientes para manter a família e pagar a graduação. Depois de pedir um tempo ao tabelião “para um conselho”, ele deu plantão na reitoria da faculdade para negociar um desconto. De cara, garantiu uma bolsa de 50%. Depois de 5 semestres, a faculdade concedeu o benefício integral.

“Não queria me menosprezar por ser negro e pobre, mas fui sincero. Se não fosse desse jeito, eu não teria condição de pagar. E eu falei para o reitor que queria mudar o meu futuro e o da minha família. Aquela era a chance que eu tinha. Deixei claro que minha intenção era não precisar depender disso, que eu sabia que ele era um homem muito ocupado, mas que eu não tinha opção mesmo”, conta.

Ainda no começo da faculdade, o lavador de carros, que tinha a confiança do tabelião do Cartório do 5° Ofício de Notas, ganhou mais uma oportunidade: entrou para o setor de limpeza da instituição. Depois, passou para a área de segurança e hoje é auxiliar notarial. A atividade é conciliada com os cuidados com os automóveis dos clientes, aos fins de semana.

“Hoje, essa não é a minha atividade principal [lavação de carros], digamos assim, mas é muito importante para mim. Eu não ganho menos que R$ 90 em um sábado, e isso me ajuda muito a completar a renda. A soma do que eu e minha mulher ganhamos não é alta, então esse dinheiro a mais ajuda muito. E eu gosto de lavar carros, me distrai. Foi o que me deu sustento por muito tempo e ainda me ajuda a queimar calorias”, brinca. “Meu peso ideal é 87 kg, mas estou com 100 kg. Não vou parar tão cedo.”

Os lucros obtidos exclusivamente por meio da limpeza dos carros, inclusive, o permitiram atender ao pedido do filho. Silva juntou R$ 9 mil e conseguiu comprar um automóvel usado de um cliente. O rapaz, que atualmente também trabalha no cartório, não acreditou quando o lavador perguntou em junho do ano passado quanto ele queria pelo veículo.

“Havia um colega que queria comprar, e eu meio que atravessei”, afirma, às gargalhadas. “Mas na hora doeu um pouco, porque parecia que não acreditavam que eu, que tantos anos lavei aquele carro sem nunca saber que um dia seria meu, teria condições de comprá-lo. Acharam que era brincadeira. Isso até ofende, sabe. Mas eu me limitei a pedir o número da conta e a voltar 2 horas depois com a comprovação da transferência. O cara ficou surpreso e perguntou se podia me entregar só no outro dia, porque ele não esperava vender. Ali eu podia ter dado uma cutucada, mas fui discreto. Só disse para tomar cuidado e não bater, que eu já tinha pagado.”

A reação do caçula ao “presente” também surpreendeu. Silva parou o carro na porta de casa e chamou a família para ver a novidade que ele havia trazido. Rodrigo foi direto, lembra o homem.

“Ele logo soltou: ‘Pai, eu não acredito, mas é muito feio esse carro’. Ele adora carros, mas o negócio dele é Lamborghini, é carrão. Só que pouco depois, ele veio: ‘Pai, eu estava brincando’. E ele ama, né? Antes, para irmos ao Nicolândia [no Parque da Cidade, no Plano Piloto], pegávamos ônibus e metrô. Hoje, é só trocar de roupa e aproveitar um tempo bem mais curto e um jeito bem mais confortável de chegar”, diz.

“Maior prêmio”
Assim como fez com o vestibular, Silva se inscreveu em segredo para o exame da OAB. A preparação para a primeira etapa ocorreu toda em casa. Já para a segunda fase, o lavador decidiu optar por um reforço e pagou um cursinho on-line. Foram 3 meses conciliando o sonho com as aulas da faculdade, o início da monografia e o trabalho.

Publicação feita por Flávio Dias da Silva em rede social, comemorando a aprovação na OAB (Foto: Facebook/Reprodução)

“Nos últimos 45 dias, eu estudava feito louco. Ficava até as 3h respondendo exercícios, me mantinha com energético. Às 8h, chegava ao cartório caindo de sono. Foi puxado, mas valeu a pena. Eu sabia tudo de cabeça no dia da prova. Abri um sorriso daqui a ali ao ler o teste. Eu me senti em casa e tive confiança de que tudo daria certo”, afirma.

O resultado saiu no dia 24 de junho. O lavador de carros havia ficado com a responsabilidade de fechar o cartório e aproveitou o momento sozinho para consultar o desempenho na prova. Antes de abrir o site, fez uma oração. E, de fato, havia dado certo: ele acertou 57% da prova objetiva.

“Eu gritei e chorei de felicidade. Saí ligando para familiares, amigos, conhecidos, postei no Facebook. Essa vitória é tudo. Foi um exemplo para as pessoas – muitas me dizem que eu as inspirei, que vão tentar os sonhos delas também”, recorda Silva. “Foi uma forma de mostrar à sociedade, mas principalmente de me mostrar, que não sou menos do que ninguém, que sou muito capaz.”

Com uma preocupação a menos para o último semestre de faculdade, o homem já traça novos planos. Os objetivos futuros são fazer uma especialização na área de processo civil e dar aulas, além de prestar concursos de direito e dar à mulher a oportunidade de estudar. “Agora, quero ajudar pessoas iguais a mim e até outras, com trajetórias diferentes, a abrir a cabeça e crescer”, conclui.

 

Escocês faz faculdade em segredo, e mãe dele só descobre na formatura

Liam Blair fez faculdade em segredo por quatro anos e só contou a verdade à mãe no dia formatura (Foto: Reprodução/YouTube/Liam Blair)

O escocês Liam Blair, de 31 anos, fez quatro anos de faculdade de psicologia escondido da mãe, e só contou a verdade no dia de sua formatura, em junho. Ele filmou a reação da mãe, Rhonda, a essa surpresa e publicou o vídeo no YouTube. Em um mês, o registro teve mais de 150 mil visualizações (assista ao vídeo).

Segundo o site do jornal britânico “Daily Mail”, Blair se candidatou a uma vaga no curso de psicologia da Universidade Albertay, na cidade de Dundee, mas não contou para a mãe porque achava que não seria aceito na faculdade. Quando foi aprovado, ele começou o curso, mas decidiu manter o segredo. Para isso, teve que inventar uma história. Blair acabou contando para a mãe que estava trabalhando em uma fábrica de peixes em outra cidade.

No início do vídeo, o agora psicólogo diz à câmera: “Ok, estou prestes a revelar à minha mãe que estou me formando hoje e que passei os últimos quatro anos na universidade, e ela não sabe nada sobre isso. Lá vamos nós!”

Na hora de revelar a verdade, Blair levou a mãe a um almoço antes da cerimônia. No banheiro, ele vestiu a beca e voltou à mesa.

No início, a mãe pareceu confusa. Sem desconfiar de nada, ela achou que o filho havia emprestado a beca de um amigo para fazer alguma pegadinha. “Então isso foi tudo montado? Você está brincando comigo, Liam?”, perguntou Rhonda. Porém, assim que ela percebeu que o filho estava mesmo prestes a receber um diploma de ensino superior em psicologia, a mãe começou a chorar e abraçou o filho.

Segundo o “Daily Mail”, Blair explicou que manter o segredo o ajudou a não desistir do curso.

Tratamento de HIV/Aids no Brasil salva mais que média global

Mortes em decorrrência do HIV no Brasil caíram a uma taxa anual de 2,3% entre 2000 e 2013 (Foto: Thinkstock/BBC)

Desde a adoção dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, em 2000, as mortes por HIV/Aids e tuberculose no Brasil caíram a taxas maiores do que a média global, indica um estudo divulgado nesta terça-feira (22).

Além disso, o número de anos de vida salvos graças ao acesso a tratamento e prevenção ficou acima do registrado em países em desenvolvimento, segundo a pesquisa.

De acordo com o relatório, publicado na revista científica “The Lancet” e divulgado na Conferência Internacional sobre Aids, que ocorre em Melbourne, na Austrália, as mortes em decorrrência do HIV no Brasil caíram a uma taxa anual de 2,3% entre 2000 e 2013, maior do que os 1,5% registrados globalmente.

Nos casos de mortes por tuberculose, a taxa anual de queda foi de 4,5% desde 2000, acima da média global de 3,7%.

No cálculo dos anos de vida salvos graças ao acesso a terapia antirretroviral, programas para prevenir a transmissão do HIV de mãe para filho e a promoção do uso de camisinhas, o Brasil atinge um índice de 0,37, em uma escala que vai de 0,07, para países em pior situação, até 0,49, em países muito ricos.

“O desempenho do Brasil está acima do registrado em outros países em desenvolvimento, que foi de 0,28 a 0,35″, disse à BBC Brasil um dos coautores do estudo, Paulo Lotufo, professor da Faculdade de Medicina da USP e diretor do Centro de Pesquisa Clínica do Hospital Universitário da USP.

De acordo com o estudo, entre 1990 e 2003, mais de 230 mil anos de vida foram salvos no Brasil graças ao acesso à prevenção e tratamento. De 2004 a 2008, foram mais de 450 mil anos. E de 2009 a 2013, quase 682 mil anos.

Em todo o mundo, foram 20 milhões de anos de vida salvos desde 1990, mas o autor principal do estudo, Christopher Murray, alerta que a qualidade dos programas de tratamento e prevenção do HIV/Aids ainda tem grandes variações de acordo com a região do planeta e diz que ainda há muito a ser feito para avançar no combate à doença.

Objetivos do Milênio
O estudo foi conduzido por um grupo internacional de cientistas e coordenado pelo Institute for Health Metrics and Evaluation (IHME) da Universidade de Washington, nos EUA. Com a análise do Global Burden of Disease 2013 (Carga Global de Doenças) é possível verificar a incidência e mortalidade por HIV, tuberculose e malária em 188 países de 1990 a 2013.

Segundo os pesquisadores, o ritmo do declínio global no número de mortes e infecções das três doenças passou a ser mais forte a partir de 2000, com a adoção dos Objetivos do Milênio por governos ao redor do mundo. O objetivo número 6 é combater a propagação dessas doenças e garantir acesso universal ao tratamento. O prazo para o cumprimento dos objetivos vai até 2015.

“A única coisa que acho que o Brasil não irá cumprir é em relação a mortalidade materna”, diz Lotufo. “(Dos outros Objetivos do Milênio) O Brasil está alcançando tudo. O que significa que está cumprindo com a obrigação. Nada mais que isso.”

No Brasil, as mortes em decorrência do HIV caíram de um pico de mais de 17 mil em 1996 para pouco mais de 10 mil em 2013, sendo 7.912 mortes de homens e 2.305 de mulheres.

Globalmente, no pico da epidemia, em 2005, o HIV causou 1,7 milhão de mortes. A incidência global de HIV atingiu seu ponto mais alto em 1997, com 2,8 milhões de novas infecções. Desde então, vem declinando. Em 2013, foram 1,3 milhão de mortes e 1,8 milhão de novas infecções em todo o mundo.

“O que chamou mais a atenção no Brasil, que já começou com os dados da Unaids divulgados na semana passada, foi que a incidência da doença está estável”, afirma Lotufo.

“A mortalidade caiu bem, mas estamos temos uma situação de estabilidade em relação a novos casos.”

Tuberculose e malária
Os cientistas concluíram que o sucesso no combate ao HIV também teve impacto positivo sobre a luta contra a tuberculose. Depois de aumentar globalmente a uma taxa anual de 0,4% entre 1990 e 2000, a incidência global da doença começou a cair a uma taxa de 1,3% até 2013.

A maior rapidez e eficácia no tratamento tem reduzido a duração de infecções por tuberculose globalmente. No entanto, os pesquisadores alertam que o envelhecimento da população levará a um número maior de casos e mortes.

No Brasil, 4.184 homens e 1.604 mulheres morreram vítimas da doença no ano passado.

No caso da malária, de 2000 a 2013 o Brasil reduziu a taxa de mortalidade em uma média de 9,2% ao ano, com 71 mortes em 2013.

Em termos globais, a epidemia de malária teve seu pico no início dos anos 2000, com 232 milhões de casos em 2003 e 1,2 milhão de mortes em 2004. Em 2013, foram 164,9 milhões de casos e 854.566 mortes por malária no mundo.

Segundo outro co-autor do relatório, Alan Lopez, da Universidade de Melbourne, além de documentar o impressionante progresso no combate às três doenças, o estudo representa um alerta de que ainda há muito o que fazer. “HIV, tuberculose e malária ainda causam cada uma cerca de 1 milhão de mortes por ano no mundo”, salienta.

Prefeitura entrega moderna Unidade Saúde em Timon

moradores-do-novo-tempo-comemoraram-a-ubs-2804

Como parte de uma série de investimentos na área da saúde, a Prefeitura de Timon, por meio da Secretaria Municipa de Saúde, inaugurou na noite desta sexta-feira (18) uma Unidade Básica de Saúde (UBS) no bairro Novo Tempo. O local está todo equipado para oferecer a devida assistência médica à população.

O prefeito Luciano Leitoa esteve presente na solenidade de inauguração. Também participaram o Secretário Municipal de Saúde, Márcio Sá, além de vereadores e a comunidade em geral. A nova unidade vai beneficiar a população residente nas mais de duas mil moradias do Novo Tempo. Na oportunidade todos puderam conhecer as novas instalações contam com consultórios médicos, odontológicos, enfermaria, auditório e sala de espera.

De acordo com Márcio Sá, a prefeitura tem se empenhado no fortalecimento da atenção básica da saúde. “Vamos inaugurar 11 UBS iguais a essa no município e o Novo Tempo está ganhando a primeira. São completamente equipadas com profissionais capacitados. Isso tudo é reflexo de um governo comprometido e com planejamento”, ressaltou o secretário lembrando ainda que tem mais sete UBS em processo licitatório.

O prefeito Luciano Leitoa lembrou que muitos moradores não precisarão mais se deslocar do bairro para receber atendimento médico. “Vocês estão recebendo hoje um local super equipado que além de atendimento médico tem odontológico também. Em breve o Novo Tempo também vai se beneficiar com o Parque Empresarial que está sendo construído em frente ao bairro. É um local que vai se desenvolver muito ainda e faremos o possível para contribuir com esse crescimento. Até o final desse mandato vamos mudar a realidade de Timon”, concluiu.

1977225_730063737040121_1998820960663074482_nUilma Rezende, vereador que fez o requerimento solicitando a UBS para o bairro, parabenizou os moradores pela conquista. “Estão todos de parabéns e a prefeitura por investir cada vez mais na saúde da população. Lembro como se fosse hoje das visitas que fiz aqui no início das obras e é muito bom ver que virou realidade”, destacou.

O morador Raimundo Pereira contou que a Unidade era aguardada por todos. “Nosso bairro é muito distante e é complicado se deslocar à procura de médico quando adoecemos, por isso é importantíssimo esse posto aqui em nosso bairro. Saúde é coisa séria e estou muito satisfeito”, finalizou.

Para a construção da UBS foram investidos R$ 425.050,84. A unidade conta com atenção integral a saúde da criança, a saúde da mulher e do adulto. O ambiente é climatizado, com equipamentos de qualidade e profissionais preparados. A nova UBS está localizada na Avenida 03, no Residencial Novo Tempo e irá atender diariamente no horário das 7h às 17h.

10488060_730066227039872_8675258166941540700_n

A meta da Prefeitura é conseguir atingir toda população da zona urbana e rural. Oferecer um atendimento humanizado e contínuo, pois a saúde básica faz toda a diferença na prevenção, controle e tratamento de diversas doenças. Também é responsável por identificar e encaminhar os casos para médicos especialistas. Dentre construção, reforma e ampliação serão entregues total de 17 UBS, todas equipadas e com infraestrutura adequada às necessidades do público.

 

 

Prefeita Leula Brandão participa de encontro com o ex-presidente do Senado José Sarney

A prefeita do município de Governador Newton Bello, Leula Brandão, acompanhada do assessor direto e ex-prefeito Douglas Brandão, participou nesta segunda-feira (21), na casa de José Sarney, do almoço oferecido pelo ex-presidente a vários prefeitos e prefeitas do estado.
Além dos gestores, o ex-presidente do Senado, recebeu ainda deputados estaduais e federais, além da Governadora Roseana Sarney e do candidato ao governo Lobão Filho em sua residência em São Luis.
Com o principal objetivo de conclamar os prefeitos, José Sarney pediu aos gestores e deputados a se empenharem na eleição de Lobão Filho ao governo e faturar a eleição no primeiro turno.
Para a prefeita Leula Brandão, este é mais um momento em que o ex-senador José Sarney mostra seu apreço pelos gestores do Maranhão e destacou um almoço produtivo, uma vez que, a partir dele, o caminho estará mais aberto para discussões relativas aos municípios maranhenses, disse a gestora de Governador Newton Bello.
Também presente ao almoço, o ex-prefeito e assessor direto do município de Governador Newton Bello, Douglas Brandão, definiu o encontro como mais um gesto produtivo do Senador José Sarney, onde consegue uma maior aproximação entre os gestores e governo para aprimorar as propostas de melhoria para os municípios.

Josimar de Maranhãozinho é recebido por multidão durante visita no município de Lago Verde

O candidato a deputado estadual Josimar de Maranhãozinho (PR), foi recebido por uma multidão, durante visita política no município de Lago Verde na tarde deste domingo, 20.

Josimar de Maranhãozinho, que estava acompanhado da esposa e prefeita de Centro do Guilherme, Detinha e do prefeito de Araguanã Valmir Amorim, foram recebidos com festa por uma multidão liderada pelos vereadores de oposição e ainda; várias lideranças políticas que o apoiam no município.
Logo na chegada do candidato ao município, formou-se uma enorme carreata pelas ruas da cidade, em um ato de empatia com Josimar de Maranhãozinho. Dezenas de carros e motos se aglutinaram e seguiram o candidato a deputado estadual até o local da reunião política. Onde lá, a população pode assistir a um vídeo da história política de Josimar de Maranhãozinho, o que deixou a todos impressionados e com a certeza que o candidato é à melhor escolha.
Dentre os vereadores de oposição que apóiam Josimar em Lago Verde estão o Professor Oliveira, Latino, Marcela do Filuca, Pretinha da Saúde e Davi.
Na oportunidade, Josimar de Maranhãzinho conversou com a população, que prestigiou em massa a sua visita no município. Durante discurso Josimar agradeceu a receptividade calorosa do povo daquela cidade.

Aécio nega financiamento de aeroporto em terreno da própria família em MG

O candidato à presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, negou neste domingo (20/7), em longa mensagem na rede social Facebook, que o governo de Minas Gerais tenha construído aeroporto na fazenda de parentes, durante o segundo mandato do tucano à frente do estado.

De acordo com reportagem publicada neste domingo no jornal Folha de S. Paulo, o governo mineiro gastou cerca de R$ 14 milhões no espaço construído na terra controlada pelo tio-avô de Aécio, Múcio Guimarães Tolentino, no município de Cláudio, a 150km de Belo Horizonte.

nota publicada pela coligação Muda Brasil, na página de Aécio, afirma que o “aeroporto foi construído em área pertencente ao Estado, não havendo portanto o investimento publico em área privada” e que de “forma incompreensível, o ex-proprietário da área é tratado na reportagem como dono do terreno”. Para o candidato tucano e ex-governador mineiro, ‘‘não se trata também de construção de um novo aeroporto, mas de melhorias realizadas em pista de pouso que existia há mais de 20 anos no local, realizadas por meio do ProAero, programa criado no governo Aécio Neves e que garantiu investimentos em inúmeros aeroportos do Estado”. O terreno, segundo Aécio, já foi desapropriado e, portanto, pertence ao Estado.

Ainda a partir das explicações do tucano, em julho de 2011, foi enviada à Anac a documentação necessária para homologação do aeroporto (a mensagem reproduz o documento ao lado). O processo, segundo ele, não foi concluído. “Não houve nenhum tipo de favorecimento na implantação das melhorias na pista de pouso de Cláudio como insinua a reportagem. O ex-proprietário não concordou com as bases da desapropriação definidas pelo Estado e luta até hoje na Justiça contra elas. Até hoje ele não recebeu nenhum centavo”. Segundo ele, “todas as atitudes do governo de Minas Gerais referentes ao aeroporto de Cláudio se deram dentro da mais absoluta transparência e lisura”.

A coligação diz ainda lamentar que a reportagem da Folha não tenha citado que comumente muitos aeroportos locais são fechadas para evitar danos e invasões à pista, dando a entender que o controle da área seria uma exceção.

A mensagem afirma ainda que o governo de Minas tem buscado investir em aeroportos regionais e locais, como é classificado o do município de Cláudio e que, como na área já havia uma pista de pouso, constatou-se que seria mais barato investir no local. Caso não o fizessem naquela área, teriam de ter optado por uma “solução mais cara para os cofres públicos apenas para evitar que a obra fosse feita em terreno cujo proprietário tivesse laços de parentesco com o então governador”. A coligação Muda Brasil afirma que o governo de Minas Gerais agiu com rigor e “seguiu todos os trâmites legais” na melhoria do local. “Prova disso é que os interesses de um parente do governador na época foram contrariados para que prevalecesse o interesse público”.

Jovens que casam cedo vivem o desafio da maturidade

Decidir o momento de trocar alianças faz parte de uma etapa do casal, não importa a idade dos noivos. Quando os pombinhos são jovens, contudo, é comum ter como feedback uma certa descrença ou até mesmo sarcasmo por conta de pessoas mais maduras.

“Não é a mesma coisa que namorar”, “vamos conversar de novo daqui a um ano” ou “você vai desperdiçar os melhores anos da sua vida” são comentários maldosos, porém, comuns. Independentemente do que os outros digam, o importante é ter certeza do que se quer. “É comum que jovens tenham mais sensação de certeza do que as pessoas mais maduras, pois quanto mais conhecemos da vida mais sabemos de tudo o que pode dar errado %u2014 é a tal da benção da ignorância”, compara a psicóloga e terapeuta de casais Marisa de Abreu.

“A única vantagem (de se casar jovem) seria poder comemorar bodas de ouro sem rugas”, brinca a psicóloga. Brincadeiras à parte, a especialista pondera que, talvez, esses jovens tenham convicção de já terem encontrado a pessoa certa %u2014 logo, “perder tempo” seria desnecessário. Maduros ou não, todos precisam se preparar, psicológica e financeiramente, para a mudança de vida. “Quem vai dizer quem está certo será o tempo”, conclui a especialista.

Pensar na parte prática da vida ajuda a entender se o momento é o ideal para trocar alianças. Saber que os gastos vão aumentar ajuda a “clarear os aspectos emocionais” do novo arranjo, segundo a psicóloga Marisa de Abreu. Ter em mente que a relação em si não será mais a mesma também evita futuros aborrecimentos. “A convivência diária muda muito a forma como nos relacionamos com o namorado que víamos apenas no fim de semana”, completa Abreu.

Encontrar a pessoa certa é uma sensação maravilhosa, mas nem sempre é o romantismo que impulsiona o casório precoce. Lorena Noronha, psicóloga e terapeuta de casais, diz que a maior parte dos nubentes mais jovens que recebe em seu consultório resolveram casar por conta de gravidez indesejada. “Existe também o fator de querer sair da casa dos pais”, completa. Muitas vezes, ela diz, fica difícil pagar a conta da ‘brincadeira de casinha’. “Ter uma casa própria não é a mesma coisa que brincar de casinha, e casar não é o mesmo que ter um namorado”, justifica Noronha.

Uniões entre pessoas na faixa etária de 20 a 24 anos já foram mais populares, é verdade, mas dizer que os mais jovens não querem saber de compromisso é mero clichê. Carolina Cardoso, 20, e Luís Felipe Marinho, 21, por exemplo, estão juntos há três anos, sendo um ano de namoro, um de noivado e um de casamento. Eles se conheceram por meio de uma amiga em comum e começaram a namorar. A ideia de se casar surgiu durante uma viagem, na qual passaram uma semana juntos.

“Percebemos que gostamos da experiência %u2014 ficar juntos o tempo inteiro e compartilhar todos os momentos. A partir dali, começamos a nos planejar e preparar as nossas famílias”, completa Carolina. No início, todos os parentes acharam a decisão precipitada. Para a mãe da noiva, tudo não passava de uma fase que não deveria ser levada a sério. Com o tempo, porém, o plano do casamento começou a amadurecer e a ganhar credibilidade entre os familiares.

O lado financeiro ainda preocupa. Atualmente, Carolina está se dedicando aos estudos, enquanto Felipe, que trabalha com telefonia empresarial, segura as contas da casa. “Nosso plano é eu me formar primeiro e, depois, ele investir na educação dele”, conta Carolina. Ela acredita que manter o casamento, mesmo começando tão jovem, é possível. “Meus pais se casaram com 20 anos e estão juntos até hoje. Na época, era normal. Hoje, as pessoas acham que casais de 20 anos são crianças”, observa. Segundo ela, o salário de Felipe é suficiente para sustentá-los sem precisar da ajuda da família.

Ambos citam como maior benefício do casamento a intimidade do casal e a independência em relação aos pais. “Hoje em dia, tomamos nossas decisões e pensamos em conjunto. Mas tudo tem que ser feito com planejamento.” Os projetos incluem comprar uma casa e ter filhos. “A gente já está juntando dinheiro para isso. Quando a Carol começar a trabalhar, a situação vai ficar bem melhor”, diz Felipe.

Casa para quem casa
Buscar a autonomia financeira antes de subir ao altar também é uma dica valiosa. Ter dinheiro suficiente para não depender mais da família evita discussões e os famosos “pitacos” que quem está bancando a coisa toda pode se sentir tentado a dar. “É como diz o ditado: ‘quem dá dinheiro, dá palpite’”, completa a psicóloga e terapeuta de casais Marisa de Abreu. Se você é jovem e casado, não se desespere: tenha em mente que a vida financeira tende a melhorar com o tempo.

Para a psicóloga Lorena Noronha, saber quando é a hora certa de se comprometer depende muito mais da maturidade do próprio relacionamento do que da idade do casal. “Casamento não é uma cerimônia ou um papel que se assina”, compara. “É um status relacional, uma intimidade entre duas pessoas que sentem vontade de dividir a vida juntos.” Se a falta de dinheiro no começo da vida conjugal é um problema, uma conta bancária mais gorda também pode ser fonte de atritos. Segundo Noronha, é comum casais jovens procurarem a terapia de casal justamente quando começam a ter mais independência financeira. “Um dos dois acaba querendo mais independência de modo geral, e, às vezes, essa liberdade não inclui o parceiro ou os filhos.”

Com mais dinheiro no bolso, a vontade de ter roupas melhores, de sair para locais diferentes e/ou só com os amigos pode abalar o relacionamento. “Muitas vezes, o casamento ia muito bem, até um deles entrar na faculdade e querer ir a festas”, exemplifica Lorena Noronha. Outro ponto em que os mais jovens costumam escorregar, segundo a psicóloga, é não saber lidar com o fato de que a maioria dos amigos ainda estão solteiros %u2014 logo, não têm a mesma rotina dos casados. Resultado: quem quer sair sozinho se sente preso, enquanto quem quer ficar em casa se sente deixado de lado. Os efeitos colaterais são estresse, ciúme, insegurança e sensação de prisão.

Para driblar as intempéries futuras, uma alternativa é cultivar a cumplicidade desde o primeiro momento de relacionamento. Pelo menos, é a estratégia usada pelo casal Kevin Franklin Carvalho, 21 anos, e Thatiane Cristina de Gusmão da Silva Carvalho, 25. Os dois se conheceram há cinco anos, em uma festa a fantasia. À época, os dois faziam parte de uma ONG evangélica, que organizou uma viagem de 10 dias a Itaperuna (RJ) para implantar uma filial. “Quando voltamos de viagem, vimos que estava acontecendo algo mais”, resume a autônoma.

Uma amiga em comum deu um empurrãozinho e, um mês após essa viagem, os dois estavam namorando. O relacionamento seguiu a toda velocidade: dois anos e meio separaram o namoro do noivado, decidido em fevereiro de 2013. “Não queria dor de cabeça, queria me envolver logo com alguém sério”, declara Thatiane. Os preparativos tiveram que acompanhar a velocidade do casal. O problema era o dinheiro: enquanto Kevin ainda era um estagiário com apenas três dígitos no contracheque, Thatiane não trabalhava. O patrocínio dos pais também estava vetado.

A alternativa foi empreender: surgia a Casando com Bombom, uma miniempresa especializada em chocolates personalizados. Todo o dinheiro arrecadado com a venda das guloseimas foi destinado ao casório. “Íamos entregar os chocolates na casa das pessoas, então, era comum dar meia-noite e ainda estarmos trabalhando”, conta Kevin. Além de cortar drasticamente supérfluos, como idas ao cinema ou ao restaurante, o casal apoiou-se em um rígido controle de gastos: desde fevereiro de 2013, quando noivaram, 70% do já curto salário de Kevin ia para a “poupança-casamento”.

O lema dos preparativos era: multiplicar dinheiro. Para isso, além da empresa de chocolates, os dois fizeram bazar e trocaram o chá de panela por chá dos noivos, em que o casal recebe dinheiro no lugar de presentes. “Todo mundo adorou, porque muita gente tem dificuldade em escolher coisas para casa”, completa Thatiane. No fim de toda essa odisseia financeira, os dois conseguiram juntar R$ 20 mil e se casaram em abril deste ano. “Ganhamos muita coisa também, como o vestido de noiva e o terno”, pondera Thatiane. Os utensílios domésticos também entraram na lista de presentes. “Nosso plano era se casar e não ter dívidas %u2014 e conseguimos isso”, comemora.

Hoje, os recém-casados ainda estão se habituando a contas e tarefas domésticas. A empresa está parada, Kevin é bancário e Thatiane continua na ONG. “Muitos disseram que eu ia acabar com a minha vida ao me casar cedo, que eu tinha que aproveitar antes”, diz Kevin. “Mas sempre pensei: o que posso aproveitar solteiro que não posso aproveitar casado? Tenho certeza de que ela é a pessoa certa, por que não casar?”. Para ela, o que contou como momento decisivo, além do exemplo dos próprios pais, foi o preparo emocional. “Tudo foi muito bem esclarecido, nada ficou nas entrelinhas. Quando nos casamos, sabíamos o que iríamos enfrentar.”

Candidatos impugnados têm até hoje para apresentar defesa

Está chegando ao fim o prazo para defesa de impugnações de candidaturas. Foram 35 ações, e, dado o dia do recebimento da notificação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o candidato tem sete dias para providenciar sua defesa. A validade dos registros das candidaturas deverá ser decidida até o dia 21 de agosto, segundo calendário da Justiça Eleitoral.

Segundo o artigo 38 da resolução nº 23.405 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), terminado o prazo para impugnação (encerrado no sábado, 12), o candidato, o partido político ou a coligação serão notificados. Tendo sete dias contestá-la ou se manifestar sobre a notícia de inelegibilidade, juntar documentos, indicar rol de testemunhas e requerer a produção de outras provas.
A assessoria do TRE explica que, como as notificações não foram entregues aos impugnados no mesmo dia, é difícil afirmar seguramente qual o último dia para a defesa.
Diante dos dados concedidos pelos impugnados, cabe a relatoria entre os desembargadores eleitorais. São os relatores que analisam, decidindo quando o processo está pronto para julgamento, e proferem voto em sessão.
Ressalta-se que, segundo a legislação eleitoral, para os julgamentos de registros de candidaturas e de impugnações não é necessário publicar pauta no Diário da Justiça Eletrônico. Basta que os relatores afixem em mural, nos seus gabinetes, até minutos antes da sessão, a relação contendo os números dos processos que pretendem levar a julgamento. Em caso de escuta de testemunhas, é necessária a publicação em pauta.
O TRE tem até o dia 21 de agosto para decidir o futuro dos impugnados, até lá, o candidato poderá continuar em campanha eleitoral, inclusive utilizando o horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão, conforme prevê a Resolução 23.405/2014 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
 
%d bloggers like this: